• Cemig Distribuição

    18 Nov, 2019

    Cemig apresenta lucro acumulado de R$ 2,6 bilhões Venda de participação na Light e provisionamento de recursos influenciaram o resultado A Cemig apresentou um lucro acumulado de R$ 2,6 bilhões até setembro deste ano, o que representa um aumento de 276% em relação ao mesmo período de 2018. Os indicadores operacionais do terceiro trimestre, divulgados para o mercado nesta quinta-feira (14/11), também se mantiveram praticamente consistentes com as medidas adotadas pela Diretoria, de aumento da eficiência e redução dos custos. A dívida líquida, por exemplo, apresentou uma queda de 0,57% em relação a setembro do ano passado. A despesa com pessoal apresentou uma redução de 1,23%, decorrente, principalmente, da diminuição de 2,82% no número médio de empregados no terceiro trimestre de 2019, em relação ao mesmo período de 2018. O destaque positivo do trimestre foi o ganho resultante da alienação do controle da Light e da remensuração da participação restante na empresa, no valor líquido de R$ 224 milhões, enquanto o destaque negativo foi aprovisionamento de R$ 1,182 bilhão referente à cobrança de impostos sobre participações nos lucros e resultados (PLR) de 1999 a 2016, com efeito não-recorrente no resultado da empresa de R$ 862 milhões. Excluindo os efeitos não-recorrentes, a Cemig apresentou um lucro líquido ajustado de R$ 356 milhões no terceiro trimestre de 2019, o que representa um aumento de 18% em relação ao resultado ajustado do mesmo período do ano passado. Segundo o presidente da Cemig, Cledorvino Belini, “efeitos não recorrentes interferiram no resultado final, porém os indicadores estão alinhados com os objetivos definidos pela Diretoria e pelo Conselho de Administração e atendem plenamente aos covenants definidos junto aos credores”. Perfil da companhia A Cemig é a maior empresa integrada do setor de energia elétrica do País, com mais de 8,5 milhões de clientes e 500 mil quilômetros de linhas de distribuição, além de uma capacidade instalada de 6,1 GW. Vale destacar que a concessionária foi selecionada, pela 20ª vez consecutiva, para compor a carteira do Índice Dow Jones de Sustentabilidade no período 2019/2020, mantendo-se como a única companhia do setor elétrico da América Latina a fazer parte do índice desde a sua criação, em 1999. A Cemig está presente em 24 estados e no Distrito Federal, e conta com mais de 40 mil acionistas em 38 países, além de possuir ações negociadas nas Bolsas de Valores de São Paulo, Nova York e Madri. 14.11.2019 l Classificação: Público

  • José Ponciano Neto

    16 Nov, 2019

    Título: Vereadores pedem multa à Copasa por causa do racionamento. - “PAI PERDOA-LHES, POIS NÃO SABEM O QUE ESTÃO FALANDO” (*) José Ponciano Neto – Vice- Presidente da Academia Maçônica de Letras do Norte de Minas

  • Afonso Cláudio

    15 Nov, 2019

    O Sol é para todos - Os prejuízos provocados pelas interrupções do fornecimento de energia elétrica, tanto para os clientes, como para as Concessionárias, são vultosos. Estas têm grandes perdas de faturamento e da sua imagem pública e os consumidores, pela falta desse tipo de energia, ficam impedidos de usufruir dos eletrodomésticos, sistemas de comunicação, computadores, Internet, diversas máquinas nas empresas, os serviços públicos, escolas, iluminação pública, hospitais, aeroportos, metrôs, elevadores, sinais de trânsito, param de funcionar ou o fazem precariamente etc., ou seja, um "apagão" é algo muito indesejável, já que todos dependemos, de alguma forma, da eletricidade, para nossas atividades, desde às mais simples, às mais complexas. Percebemos que, quanto mais a geração hidroelétrica for distante das cargas consumidoras, maiores as possibilidades de blackouts, ou "apagões", principalmente nos sistemas elétricos radiais, ou seja, aqueles cuja fonte de suprimento é única, não permitindo manter a alimentação das cargas por fonte(s) alternativa(s), como os sistemas interligados. Aí está mais uma grande vantagem da geração de energia elétrica fotovoltaica. Podendo ser instalada mais próxima da maior concentração de consumidores, se comparada às grandes usinas hidroelétricas, serão reduzidos, e muito, graves acidentes e interrupções que são provocados por alimentadores e linhas de distribuição e transmissão, de longas extensões, uma vez que os circuitos físicos, aéreos, principalmente os que não têm cabos isolados, estão sujeitos a ventos, chuvas, descargas atmosféricas, queimadas, acidentes de trânsito, enchentes, desmoronamentos, pássaros e outros animais, dificuldades de acesso, terrenos acidentados etc., que são agentes de muitas interrupções e acidentes, nas zonas urbanas e rurais. Além disto, as crises hídricas elevam o custo das tarifas da energia hidroelétrica (bandeiras amarela e vermelha). À medida que as Grandes Distribuidoras incrementarem a geração fotovoltaica, tornando-a acessível a seus clientes, seremos todos vitoriosos, Concessionárias e consumidores. Afinal, "O Sol é para todos". Afonso Cláudio de Souza Guimarães - Engenheiro Eletricista

  • Afonso Cláudio

    14 Nov, 2019

    "Linha de 138.000 volts entre Bocaiúva e M. Claros é atingida por fogo e Cemig suspendeu o fornecimento (em Bocaiúva, Guaraciama, Olhos D’agua, Engenheiro Navarro, Joaquim Felício e Buenópolis) entre 16h e 20h - 13/11/19 - 8h54" Sugestões para se otimizar o desempenho das Subestações e Linhas de Transmissão/Distribuição da CEMIG: - Considerando a ocorrência de 12/11/2019, entre as 16 e 20 horas, na qual houve interrupção acidental do fornecimento de energia elétrica, devido a danos em uma torre da Linha de Distribuição de 138 KV Montes Claros - Bocaiuva, conforme a mensagem da CEMIG, de 13/11/2019, temos algumas informações adicionais e sugestões, visando à melhoria constante do desempenho do Sistema Elétrico desta região Norte e do Estado de Minas Gerais. - Só nas sedes municipais, pelo menos 81.000 habitantes dessas cidades foram atingidos pelo desligamento acidental, com duração de 4 horas, sendo pelo menos 2 horas à noite, quando a falta de energia elétrica traz maiores transtornos. - As informações publicadas pelo Portal RSena.com.br, de Bocaiuva, contidas no link abaixo, indicam que no dia anterior à interrupção da Linha de 138 KV, houve várias pequenas faltas de energia (piques), numa duração total de 10 minutos, em Bocaiuva, como que sinalizando que algo pior poderia ocorrer e de fato ocorreu em 12/11/19, entre 16 e 20 horas: 6 sedes municipais, além de comunidades rurais e distritos desses municípios, foram atingidos pela falta de energia elétrica. - Conforme o citado Portal, um incêndio vinha consumindo dezenas de hectares de propriedades rurais, localizadas próximo à BR-135, e o Corpo de Bombeiros informou que não foi notificado sobre tal incêndio, o que contraria a versão de um sitiante, que afirmou que sua filha avisou os militares sobre o fato. - Conforme a CEMIG, apenas em 2018, mais de 100.000 clientes tiveram o fornecimento de energia elétrica afetado por incêndios, diz o Portal. - Diante destas informações sugerimos que a CEMIG, o Corpo de Bombeiros, as Polícias e os proprietários rurais se reúnam e programem em conjunto as ações preventivas necessárias, para evitar interrupções mais prolongadas em outras Linhas e Subestações de Distribuição/Transmissão, seja em relação a queimadas, como a outras causas, tanto no Norte de Minas, como em outras regiões do Estado, contribuindo assim para melhor posição no Ranking da ANEEL - Agência Nacional de Energia Elétrica, relativo ao Desempenho Global de Continuidade das Grandes Concessionárias, que atualmente é o 20° lugar (DGC = 0,86) entre 30 Grandes Distribuidoras, conforme a mensagem de 7/11/2019, deste Mural. http://rsena.com.br/2019/11/13/por-que-faltou-energia-em-bocaiuva-cemig-divulga-nota-para-esclarecer-falta-de-energia-na-regiao/ Afonso Cláudio de Souza Guimarães - Engenheiro Eletricista

  • Cemig Distribuição

    13 Nov, 2019

    SNPTEE promove integração de jovens profissionais ao setor de energia elétrica Maior seminário do setor elétrico brasileiro dá espaço a iniciantes na área O terceiro dia do Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica (SNPTEE) foi marcado pelo 2º Fórum dos Jovens, que debateu a inserção de novos profissionais diante das transformações no setor elétrico. O encontro contou com as palestras do presidente do Conselho de Administração do CIGRE-Brasil, Josias Matos Araujo, e de dois jovens profissionais do setor: o CEO da Enacon, Douglas Vieira, e o empreendedor Miguel Moraes Martins Segundo. O 2º Fórum de Jovens analisou, ainda, temas importantes para o setor de energia elétrica como os 3Ds (descentralização, descarbonização e digitalização), as transformações da área, a indústria 4.0, a adoção de tecnologias digitais para melhorar os processos, dentre outros. De acordo com o diretor de Geração e Transmissão da Cemig, Paulo Mota, a integração de profissionais seniores com os jovens é fundamental para o desenvolvimento do setor no Brasil. “Esse fórum é um momento muito especial para quem está no começo da carreira, uma oportunidade de ver todo o setor, participar, conversar e debater com pessoas mais experientes. Num mundo em transformação, esse evento, por seu contorno e fórmula, serve de estímulo para o profissional que busca crescer na carreira e fazer contatos com pessoas interessantes”, afirma. Para o CEO da Enacon, Douglas Vieira, o setor elétrico está em franca transformação, e o SNPTEE consegue integrar essas duas gerações importantes. “O Fórum de Jovens é uma iniciativa que permite a uma geração que ajudou a construir o setor elétrico passar o bastão para os jovens que estão entrando agora no mercado." Aos 26 anos, e com participação em três empresas do setor de energia, o empreendedor Miguel Moraes Martins Segundo ressaltou o caráter único do SNPTEE – de mesclar conhecimento com a prática – além de iniciativas inovadoras, como é o caso do Fórum de Jovens. “O interessante é que o SNPTEE consegue fazer um casamento da academia com o mercado, o que é muito difícil de encontrar. O encontro é uma iniciativa importante para o debate e que foge um pouco da questão técnica, focando no ser humano que está no setor elétrico. É um evento muito completo, que possibilita aos participantes fazer networking, adquirir conhecimento e muito aprendizado”, comenta. Espaço para mulheres Nesta quarta-feira (13/11), último dia do SNPTEE, acontecerá o 2º Fórum de Mulheres. A atividade busca valorizar as profissionais do setor, que já ocupam 22% dos empregos na área de energia elétrica em todo o mundo, segundo dados da Agência Internacional de Energia Renovável (Irena). Esse encontro também visa intensificar a integração entre homens e mulheres no CIGRE, melhorando os resultados das equipes de estudo e de trabalho do setor elétrico. “O Fórum de Mulheres foi inspirado em uma iniciativa do CIGRE Internacional na Bienal 2014. Desde então, os comitês da China, do Reino Unido e do Brasil, entre outros, organizam eventos semelhantes para estimular a presença feminina em diferentes trabalhos e carreiras da área de energia”, destaca o superintendente de Planejamento e Operação de Geração e Transmissão da Cemig e coordenador-geral do 25º SNPTEE, Nelson Benício Marques Araújo.

  • Cemig Distribuição

    13 Nov, 2019

    Nota de esclarecimento A Cemig informa que uma queimada de grandes proporções provocou, por volta das 16 horas da tarde de ontem (12/11), danos em uma torre da Linha de Distribuição de 138.000 volts (LD) Bocaiúva – Montes Claros, causando o desligamento de clientes das sedes municipais de Bocaiúva, Guaraciama, Olhos D’agua, Engenheiro Navarro, Joaquim Felício e Buenópolis. Imediatamente após o início da ocorrência, equipes da Cemig se dirigiram imediatamente para inspecionar a linha, e assim que encontraram a torre danificada, iniciaram os reparos. Os eletricistas e técnicos, apesar da falta de visibilidade causada pela fumaça gerada pelo incêndio florestal, e do local ser caracterizado pelo relevo montanhoso, portanto, de difícil acesso, atuaram rapidamente e por volta das 20 horas a energia foi completamente restabelecida para todos os clientes. Danos causados por queimadas Levantamento realizado pela companhia apontou que, apenas no ano passado, mais de 100 mil clientes tiveram o fornecimento de energia afetado por incêndios. Para evitar e minimizar possíveis danos provocados pelo fogo, a Cemig realiza ações preventivas, investindo na limpeza de faixas de servidão, com poda de árvores e arbustos e remoção da vegetação ao redor dos postes e torres. A companhia também realiza inspeções em suas linhas de distribuição e transmissão. A empresa também lançou, este ano, uma campanha de prevenção de queimadas próximas às linhas de distribuição e transmissão. As ações de conscientização previstas na campanha deste ano - com o tema “Queimadas: você pode evitar” – incluem a divulgação em TV, rádio e redes sociais, anúncios em jornal, outdoors e backbus, além de realização de palestras para a população.