• Pai

    19 Dec, 2018

    "O feminicídio persiste" - Cronica do jornalista Manoel Hygino, de 16/12/2018, diz: "...Adotou-se a Lei Maria da Penha, criou-se o substantivo feminicídio, a imprensa o condena incessantemente, porém esse tipo de crime continua e até avulta, a julgar pelas estatísticas. Incrível o que acontece. Evoluído tecnologicamente, o homem permanece assim, primitivo...". E, no último parágrafo: "As estatísticas, por enquanto, são de estarrecer: Diariamente, registram-se oito novos casos de violência sexual à mulher no Brasil e, a cada semana, 33 são mortas por seus parceiros, atuais ou antigos. Há de se construir mais hospitais e cadeias!". Portanto, são 2920 casos de violência sexual e 1584 feminicídios, por ano, que, comparados a 2333 e 1133, respectivamente, em 2017 (conforme dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, de agosto/2018, levantados pela Universidade de São Paulo), revelam aumentos de 25,16% para a violência sexual e de 39,80% para o feminicídio. E, lamentavelmente, 24 horas após a publicação da citada crônica, foi registrada a ocorrência de outra tentativa de feminicídio, desta vez na Rua dos Mangabeiras, em Montes Claros, na qual, não fosse a atuação eficaz dos policiais militares, o autor do ataque contra sua ex-companheira, poderia tê-la assassinado, o que não ocorreu porque ele foi abatido pelos policiais, no cumprimento das suas legítimas atribuições. E anteontem, em Sete Lagoas, um homem de 37 anos, matou sua ex-namorada, de 24 anos, e depois cometeu suicídio. Os dois namoraram por 10 anos e estavam separados há uma semana. Ao tentar reatar o namoro, como a jovem não aceitou, ele a matou com três tiros. E aqui, creio ser muito oportuno reproduzir a minha mensagem 80777, de 2/11/2015, publicada pelo montesclaros.com, sobre este assunto: "Não tenho uma estatística pronta, referente a quantas mulheres foram mortas nas tragédias familiares, em Montes Claros, mas, ao que parece, elas continuam sendo as principais vítimas, apesar das Delegacias especializadas em defendê-las e da Lei Maria da Penha. O machismo continua e as famílias, base principal da Humanidade, sofrem sérias influências dos contra-valores cristãos e se desintegram. O Bem e o Mal estão presentes dentro das nossas casas, através da Internet, da TV, por exemplo. Se a família não tiver o discernimento suficiente, permite a degeneração dos seus membros. Necessário se faz, além dos excelentes trabalhos das Igrejas e do Ministério Público, visando o bem das famílias, um Código Penal adequado à realidade atual, que coiba os crimes hediondos com penas muito severas (exemplos: assassinatos, latrocínios, pedofilia, tráfico de drogas e armas), talvez com prisão perpétua. E um sistema político realmente imune à corrupção, promovendo o desenvolvimento humano em seu sentido mais amplo, com serviços públicos de Qualidade (Saúde, Educação, Transportes, Energia, Água e Saneamento, Telecomunicações, Habitação, Segurança Pública etc.)." Temos o maior exemplo a seguir: a Sagrada Família de Nazaré. Quem sabe os corações humanos se tornem menos duros e violentos, praticando o amor e o respeito a Deus e ao próximo? Que Deus nos abençoe.

  • Novo comandante do 55º BI quer manter “padrão de disciplina”

    18 Dec, 2018

    Já responde pelas ações do 55º Batalhão de Infantaria (BI) Dionísio Cerqueira o tenente-coronel Rodrigo Benedito Nicolini. Vindo do comando da 23ª Brigada de Infantaria de Selva, em Marabá, no estado do Pará. A cerimônia oficial de passagem de comando aconteceu na última sexta-feira (14). “Pra mim foi um orgulho, receber a nomeação do comandante pra vir comandar o 55º BI, tradicional unidade do nosso Exército Brasileiro. Com muito orgulho, substituo o coronel Dos Anjos, que nos deixa em missão para o Chile”, afirmou à imprensa Nicolini.

  • Afonso Cláudio

    13 Dec, 2018

    Prevenção de ataques em locais públicos Tendo em vista tantos atentados em locais públicos, no Brasil e no exterior, inclusive em templos de diferentes religiões, como o de 11/12/2018, na Catedral Metropolitana de Nossa Senhora da Conceição, em Campinas-SP, no qual 5 pessoas indefesas foram brutalmente assassinadas e o executor dos crimes suicidou, é indispensável triagem rigorosa das pessoas que têm acesso ao interior das igrejas, como é feito, ou deveria ser, em outros locais, tais como estádios, aeroportos, metrôs, shoppings, empresas, faculdades, colégios, creches, parques de exposições, fóruns, bancos, hospitais e outros prédios públicos, por exemplo. No caso dos templos, cabe aos religiosos e fiéis, em conjunto com as autoridades policiais, uma maior vigilância, pois são muito abertos para a entrada dos fiéis, o que facilita o acesso de pessoas com transtornos mentais e de outras mal intencionadas, perigosas, principalmente as que estiverem portando armas de fogo ou de outros tipos, inclusive explosivos, podendo provocar tragédias. Com detectores de metal e raios X é possível detectar tais armas. Além do policiamento preventivo, deve-se também instalar sistemas de alarme, cercas elétricas e câmeras, com o mesmo objetivo, por meio de projeto e execução de empresa especializada em segurança. Se assim procedemos em nossas residências e em outros locais, diante dos riscos devidos à violência generalizada, tanto ou até mais deve ser feito nas casas de Deus, através do trabalho conjunto dos fiéis e do clero. Peço aos religiosos e fiéis que considerem a postura de muito respeito a todas as religiões, que adotei ao elaborar esta mensagem, cujo objetivo principal é de contribuir para robustecer a segurança dos frequentadores dos templos, conforme as sugestões que fiz acima, a exemplo de várias mensagens publicadas por este Mural, de minha autoria. Concluo dizendo que a tragédia de 11/12/2018, em Campinas, que chocou o Brasil, poderia ter sido ainda mais grave, se 2 policiais não tivessem agido com rapidez e eficácia, baleando o assassino, que já havia descarregado um pente de balas e ainda tinha mais 2 pentes intactos, demonstrando a enorme importância do policiamento preventivo e eficaz em situações semelhantes. Afonso Cláudio de Souza Guimarães - Engenheiro

  • Afonso

    08 Dec, 2018

    Em 8/12/1954, na inauguração do Seminário Diocesano de Moc, foi afixada uma placa com as seguintes palavras, referentes aos 100 anos do Dogma da Imaculada Conceição, proclamado pelo Papa Pio IX em 8/12/1854. "Ano Mariano 1954 - Expleto saeculo a dogmate definito Immaculata Dei Matris conceptionis. Pontifice maximo Pio Papa XII." Em 25/3/1858, em Lourdes, França, Nossa Senhora apareceu para Santa Bernadete e disse: "Eu sou a Imaculada Conceição". Hoje, 8/12/2018, Matias Cardoso, no Norte de Minas, é a capital simbólica deste Estado e lá tem uma Igreja de Nossa Senhora da Conceição construída em 1675, no arraial mais antigo de Minas, de 1674. Glória a Deus!

  • Afonso Cláudio

    05 Dec, 2018

    Na minha mensagem sobre prevenção de acidentes com escorpiões, no segundo parágrafo, onde se lê: "São 1900 casos por ano em Minas.", retifico: "São 1900 casos por ano no Hospital João XXIII, em BH". Em Minas são cerca de 22.000 acidentes por ano, conforme o mesmo parágrafo.

  • Afonso Cláudio

    05 Dec, 2018

    Prevenção de acidentes com escorpiões Minas é o Estado com maior número de casos de acidentes com escorpiões no Brasil. A espécie que vive aqui, a amarela, é a mais venenosa do país e a terceira mais venenosa do mundo. Sua picada, em poucas horas, pode matar. Em Minas, neste ano, 29 pessoas morreram e já são quase 22.000 acidentes. Em alguns casos, as vítimas são atacadas enquanto dormem, principalmente as crianças. Isto dificulta o diagnóstico e aumenta a letalidade dos acidentes, como ocorreu recentemente em São Paulo. São 1900 casos por ano em Minas. Diz o médico montesclarense Aderbal Andrade Filho, chefe do serviço de toxicologia do Hospital João XXIII, de BH, referência ao atendimento a vítimas de animais peçonhentos: "Só no Pronto Socorro morreram 2 crianças neste ano, picadas por escorpiões, e quase 2.000 pessoas tiveram que tomar o soro. Minas Gerais tem o maior número de casos de acidentes com escorpiões do Brasil e, no Hospital João XXIII, não vimos aumento nos últimos três anos. Houve um aumento de 2015 para 2016, por volta de 2.000 casos, e isto se manteve. Até 28/11/2018 houve 1832 casos." Cláudia Capistrano, gerente de operações de campo de Zoonoses, da Prefeitura de BH, fala sobre os locais preferidos pelos escorpiões, dentro de casa: pano de chão, sapato, pilha de roupas, livros e recomenda cuidado ao manusear esses objetos. É nesta época de chuva e calor que mais aparecem os escorpiões. O calor favorece sua reprodução e a chuva os tira das suas tocas. As crianças e os idosos são as maiores vítimas das picadas de escorpiões, devido ao organismo mais frágil. Recomenda-se também eliminar lixo e entulhos, tanto dentro de casa, como em varandas e quintais. Usar ralos com tampa nos banheiros, telas em janelas (úteis também para evitar entrada de mosquitos, pernilongos e outros insetos, como, por exemplo, o potó) e vedar as possíveis entradas de baratas (o alimento preferido dos escorpiões), tanto em portas e janelas, como em tubulações de água e esgoto. Afonso Cláudio de Souza Guimarães - Engenheiro