Cachaça Artesanal: FAEMG instala Comissão Técnica

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais - FAEMG instalou uma Comissão Técnica para um nicho que tem crescido nos últimos anos: a produção artesanal de cachaça. O responsável por presidir a comissão será um produtor de Guaraciaba, na Zona da Mata: José Maria Santana Júnior.

Durante a primeira reunião foram discutidos os problemas e as demandas do setor, que passa por um momento difícil. “A carga tributária elevada empurra mais de 90% dos produtores para a informalidade. Será preciso buscar uma tributação diferenciada para os produtores artesanais", explica José Maria. "O consumidor precisa saber que a cachaça artesanal mudou muito nos últimos anos, para melhor. Ela é hoje resultado de muito estudo, tecnologia e valor agregado, trazendo à tradição os padrões de novos tempos, com garantia de qualidade”, reforça.

Para a coordenador da Assessoria Técnica da FAEMG, Aline Veloso, “a cachaça artesanal de alambique é um produto tradicional mineiro de grande importância econômica e social", diz. Ela explica que Minas é o principal estado produtor, com mais de 50% da produção nacional, cerca de 240 milhões de litros por ano. "São mais de 500 estabelecimentos produtores nas nossas regiões e 1.612 marcas registradas”, conclui.

Para o presidente do Sindicato Rural de Montes Claros, José Avelino Pereira Neto, esta é mais uma oportunidade de fortalecer a atividade rural no Norte de Minas. "A FAEMG tem trabalhando firme para incentivar o produtor rural a produzir mais e melhor. As comissões técnicas são extremamente importantes para que as atividades rurais possam crescer com qualidade, tecnologia e dentro da legalidade", afirma.