Certificação do IMA valoriza e impulsiona a floricultura orgânica

O mercado de produção e distribuição de flores em
Minas Gerais tem apontado para um crescimento

Minas Gerais está abraçando novos tipos de flores que, além de fazer bem aos olhos pela beleza, são bastante benéficas à biodiversidade local. São as chamadas flores orgânicas que, com a chancela o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), através do Certificado de Orgânicos, estão despontando no estado.

Valdeci Verdelho, por exemplo, conhece bem este selo do IMA. Sua produçãono sítio Flor de Corte, na área rural de Jaboticatubas, no Território Metropolitano, foi a primeira a ser contemplada, no Brasil, com o título legítimo.

O produtor planta bastão-do-imperador nas cores rosa, branco e vermelho; gengibre ornamental e helicônias, principalmente a wagneriana turbo, bihay, shee e nappi green. Sem adubos químicos nem agrotóxicos, a nutrição das plantas é feita por meio de adubação verde, com postagem e outros ingredientes naturais permitidos pela legislação de orgânicos no Brasil. No controle de pragas e doenças, o manejo é feito utilizando técnicas de prevenção e produtos permitidos no cultivo orgânico.

“Além das vantagens ambientais, a produção orgânica tem muita aceitação no exterior. Visando esse mercado externo também, começamos nesta produção que, hoje, já deslancha. Sem dúvidas, o certificado do IMA foi um dos fatores importantes para abrir as portas para nossas flores”, conta Valdeci, que não deixa de incluir a ajuda da Epamig no sucesso da empreitada. “Foram os técnicos do órgão que me instruíram sobre meus primeiros plantios, indicando as flores tropicais, para iniciar. Não fosse esse pontapé, não estaria onde estamos”, acrescenta.

O mercado de produção e distribuição de flores em Minas Gerais tem apontado para um crescimento. Em 2014, eram cerca de 550 produtores. Atualmente, já são mais de 750. (Agencia Minas)