IFNMG recebe R$ 82,7 mil do Mec para Agro IFMaker

O IFNMG teve uma proposta contemplada pelo Edital nº 35/2020 da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do Ministério da Educação, de apoio à criação de laboratórios de prototipagem na Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, chamados de IFMaker. Trata-se do Agro IFMaker – Aprender fazendo, do Campus Arinos, no valor de R$ 82.700. O resultado final da seleção foi publicado nesta sexta-feira (11), com 39 propostas aprovadas entre as instituições da Rede Federal. O objetivo dos laboratórios IFMaker é auxiliar os servidores no desenvolvimento da cultura learning by doing.

Além das 39 propostas de laboratórios selecionadas, 74 foram classificadas pela Setec/MEC, entre elas as outras duas inscritas pelo IFNMG na seleção: KiauMaker: aprendizagem e inovação por meio da cultura maker, do Campus Araçuaí, classificada em 14o lugar; e Integrações multidisciplinares em ambientes criacionais para o desenvolvimento de instrumentos didáticos versáteis, do Campus Montes Claros, em 65o. Atendidos os projetos selecionados inicialmente, caso haja recursos disponíveis, as propostas classificadas poderão ser contempladas, obedecendo-se a ordem de classificação.

O IFMaker levará a refletir sobre o uso da aprendizagem baseada em projetos e sobre como ela pode ser utilizada nesses espaços como suporte ao processo de ensino-aprendizagem de todas as áreas do conhecimento, o que permitirá que o aluno seja protagonista no processo ensino/aprendizagem. A ideia é que, por meio desses laboratórios, a formação dos alunos seja contínua, em práticas que desafiem a criatividade, o empreendedorismo, a tecnologia. O agronegócio na região onde está inserido o IFNMG-Campus Arinos é bastante desenvolvido, sendo uma das principais áreas de produção de grãos e pecuária no Brasil.

 

Mas as modernas tecnologias que permitem alta produtividade e lucratividade aos grandes produtores não estão acessíveis aos pequenos - a exemplo dos assentados de reforma agrária, abundantes na região – e médios agricultores. A proposta do Agro IFMaker é desenvolver protótipos que possam gerar e atuar como multiplicadores de tecnologias acessíveis para pequenos e médios produtores rurais, empresas, cooperativas e associações, bem como fomentar startups que possam impulsionar ainda mais o agronegócio regional e o despertar do setor industrial.

Aposta-se na junção de esforços e conhecimentos de profissionais, docentes e técnico-administrativos, e alunos de diversas áreas – dos cursos técnicos integrados ao ensino médio em Agropecuária, Informática e Meio Ambiente e dos superiores de Tecnologia em Produção de Grãos, Gestão Ambiental, Administração, Agronomia e Sistemas de Informação – para a execução da proposta com ideias inovadoras. O Agro IFMaker será com uma “fábrica”, com funcionamento diário, em que será proposto aos alunos, entre outros, o desenvolvimento de: softwares para coleta e processamento de dados e imagens para tablets e smartphones;  sensores de baixo custo para controle de semeadura, temperatura e umidade na produção agrícola e animal.

Também permitirá o controle eletrônico de produção de biogás;

sensores e peças de reposição em sistemas de irrigação com baixo custo;  alimentadores automáticos;  montagem de placas para pequenos sistemas de irrigação;  iniciação de modelos de negócios agroindustriais para crescimento mercadológico;  postura empreendedora com abordagem a prototipagem e mínimo produto viável, em que os alunos possam desenvolver suas ideias e projetos da criação até a sua execução. O coordenador do projeto Agro IFMaker é o professor Ronan Aparecido Valadares.

Na primeira fase, as unidades acadêmicas comtempladas receberão os recursos exclusivamente para aquisição de equipamentos para a montagem dos laboratórios – que vão de kit de ferramentas a impressora 3D e kit de robótica. O local de instalação, o mobiliário e o material de consumo necessários para o funcionamento do laboratório ficam a cargo de cada campus. Os laboratórios de prototipagem devem entrar em funcionamento até o dia 18 de dezembro. A segunda fase da chamada pública será de ampliação dos laboratórios IFMaker já instalados e em funcionamento. Essa etapa está prevista para 2021.