Novidade: SENAR desenvolve curso para manter qualidade no transporte de leite

Hoje, em um cenário onde técnicas para aumentar a produção de leite podem estar ao alcance de todos, a qualidade é o que diferencia os produtos – e ela começa a ser trabalhada muito antes das prateleiras do mercado, dentro da porteira da propriedade, incluindo a forma como o produto é processado e transportado. Para cobrir essa etapa da produção e garantir essa qualidade, o Sistema Faemg/Senar Minas atendeu a demanda de laticínios da região Sul de Minas e desenvolveu o curso Boas Práticas de Coleta e Transporte de Leite, cujo evento piloto foi realizado dia 21 de fevereiro, em Três Corações. O Sindicato dos Produtores Rurais de Três Corações foi parceiro na realização do curso. O treinamento, com carga horária total de 8 horas-aula, foi feito no Laticínio Italac para 10 pessoas que trabalham com transporte de leite. O instrutor Ricardo Marcus Soares Mendes repassou informações sobre como ocorrem as contaminações do leite, noções de higiene e como fazer a desinfecção dos equipamentos utilizados na coleta, entre outros dados fundamentais para que o leite do produtor chegue intacto ao laticínio.

 

CNA e Mapa debatem novo modelo das Câmaras Setoriais

 

A experiência da CNA na organização de comissões nacionais que tratam de temas relevantes para o setor vai se somar às ações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) no novo modelo de gestão das Câmaras Setoriais do órgão. O tema foi assunto de reunião na segunda (25) entre representantes do Mapa e assessores técnicos da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em Brasília. Como entidade representativa dos produtores rurais brasileiros, a CNA já possui assento nas Câmaras Setoriais e Temáticas do Mapa. Esses fóruns de discussão reúnem também empresários, instituições bancárias e do governo para discutir propostas para o setor produtivo.

 

Mais cooperação e efetividade

 

De acordo com o superintendente técnico da CNA, Bruno Lucchi, a cooperação entre a Confederação e o Ministério resultará em mais efetividade na gestão das Câmaras Setoriais. “Vamos colaborar com o desenvolvimento da agenda estratégica de cada Câmara Setorial, incluindo a implementação de indicadores para a realização do acompanhamento das ações. Isso possibilitará a utilização de ferramentas de gestão para continuar impulsionado o agronegócio brasileiro”, declarou o superintendente. Segundo Eduardo Marcusso, técnico do Mapa, a nova organização apresentará temas transversais comuns a todas as Câmaras como, por exemplo, crédito rural, logística e defesa agropecuária. “A atualização da agenda estratégica das Câmaras Setoriais é essencial para a formulação de políticas públicas do Ministério da Agricultura. Nesse sentido, a cooperação da CNA é relevante para novo modelo de gestão e desenvolvimento de eixos estruturantes que servirão de base para os fóruns de discussão”, concluiu.

 

Sindicato alerta usuários de outorgas de água

 

O Sindicato dos Produtores Rurais de Montes Claros alerta os produtores rurais usuários de outorga de água para a portaria do IGAM nº 01 de 14 de janeiro de 2019, que altera o prazo de preenchimento do formulário de previsão/medição dos usos de água, da seguinte forma: 1º Aqueles usuários que possuem outorga e estão instalados horímetros e hidrômetros em suas captações de água devem informar, eletronicamente no SISCAD, seus consumos e previsões de consumos; 2º Aqueles usuários que, por acaso, ainda não instalaram horímetro e hidrômetro devem fazê-los. "Os usuários têm até o dia 1/03/2019 para informar o consumo de água do ano de 2017 e a previsão de consumo do ano de 2019", esclarece o presidente da entidade, José Avelino Pereira Neto. Ele informa, ainda, que os usuários terão de abril a agosto de 2019 para informar o consumo de 2018 e previsão de consumo para o ano de 2020.

 

Foto: DIVULGAÇÃO

 

Avelino destaca que a Resolução Conjunta SEMAD/IGAM nº 2302 de 2015 exige que sejam mantidas cópias das planilhas eletrônicas apresentadas no SISCAD junto às captações nas propriedades, à disposição da fiscalização ambiental. Caso contrário, os usuários estarão sujeitos as penalidades de multas. "É importante lembrar que o Sindicato Rural não realiza o serviço, mas pode esclarecer dúvidas dos produtores e indicar profissionais para o atendimento", ressalta. Mais informações sobre o Siscad podem ser obtidas pelo 38 3215-1058.