Parcerias entre produtores rurais e órgãos ambientais estão crescendo em Moc

Pesquisadores têm observado na última década que não somente o território municipal montes-clarense tem perdido importantes áreas florestais e recursos hídricos, como também os solos da região têm sofrido, quase que três vezes mais rápido, perdas em suas capacidades físicas, químicas e biológicas.

O desequilíbrio dos ambientes naturais é um problema global e a cada ano há um reflexo de forma mais veemente em cada um de nós. Não é novidade e nem surpresa, os ecossistemas estão literalmente pedindo socorro, e não é porque somos direta ou indiretamente afetados que passa a ser necessário que soluções sejam tomadas.

Pensando nisto, neste início de ano, a prefeitura de Montes Claros por meio da sua Secretaria Municipal de Meio Ambiente buscou estreitar ainda mais a relação com os produtores rurais para que não somente os mesmos venham a receber maiores incentivos e benefícios, mas para que os ambientes naturais ganhem ainda mais força no município.

Esse estreitamento entre produtor-órgão veio pela reestruturação do chamado Ecocrédito, também conhecido como crédito verde. Nesse processo, o produtor que procura a Secretaria de Meio Ambiente tem do município uma designação por meio de zoneamento ecológico das áreas prioritárias de preservação ambiental, e atendendo a outros requisitos, o produtor passa a ser responsável pela  proteção de sua área recebendo em contrapartida do município, créditos e benefícios, nos quais auxiliam na quitação de taxas municipais e até mesmo de dívidas.

Ao meio ambiente, benefícios imensuráveis estão sendo acumulados gradativamente, como a manutenção e recuperação dos usos e ocupações do solo do município, como a mitigação de intensos problemas ambientais que foram somados com o passar dos anos em Áreas de Preservação Permanente - APP’s - e porções de reservas legais.

Aliado ao programa de Ecocrédito, o produtor rural aprovado conta com ações complementares que proporcionam ainda mais ganhos para as terras e para os ecossistemas envolvidos, como a implementação dos sistemas socioambientais de barraginhas, que já passam de 4.000 em toda a área municipal de Montes Claros.

Fato é que gradativamente, fica possível observar mudanças que visam a prevenção e mitigação dos impactos ambientais em nossa cidade, mas é mais comprovado que muito ainda precisa ser feito, e que o maior de todos os problemas ainda persiste na mente humana, o de não querer pensar como um grupo, como uma sociedade, e sobre a interdependência que existe, sim, entre nós e o meio ambiente.