Projeto de colheita de algodão foi modelo na américa latina

O projeto desenvolvido em Catuti para a mecanização da colheita de algodão no Norte de Minas foi apresentado como modelo para toda América Latina, na última sexta-feira, durante as comemorações do Dia Mundial do Algodão, realizado pela Organização das Nações Unidas e o Comité Consultivo Internacional do Algodão (CCIA). José Tibúrcio Carvalho, da Cooperativa de Catuti, fez a exposição sobre o uso desse equipamento, que desde o mês de março chegou ao Norte de Minas e será usado no mês de dezembro, na colheita do algodão da agricultura familiar. Além de José Tibúrcio, Odilon Silva e Valdinei Sofiatti, investigadores da Embrapa Algodão falaram sobre o trabalho.

O Comité Consultivo Internacional do Algodão salienta que o setor cotonicultor desempenha uma função vital na economia mundial como um produto agrícola com mais de 100 milhões de famílias dedicadas na produção e como produto básico industrial utilizado para produzir peças de vestir, têxtil e outros subprodutos de múltiplos usos. A safra 2019/20 é de 26,2 milhões de toneladas e uma produção estimada atualmente em 25,2 milhões de toneladas para 2020/21, em uma queda de 4%, em razão da queda do preço influenciando na área plantada. Por isso, a decisão de conhecer o modelo implantado no Catuti para a agricultura familiar. A proposta é trazer mais 20 maquinas dessas para o Norte de Minas. (GA)