Astrônomos de Moc ficaram sem ver o trânsito planetário

O Centro de Estudos Astronômicos de Montes Claros ficou sem acompanhar o trânsito planetário que aconteceu ontem (11), onde o planeta Mercúrio se posicionará exatamente entre o Sol e a Terra, em fenômeno que ocorrerá novamente só daqui a 13 anos. A falta de equipamento adequado impediu a ação, pois como estará direcionado para o Sol, se a pessoa tentar olhar sem a estrutura, corre risco de perder a visão. Mercúrio é pequeno planeta, que é quase três vezes menor do que a Terra, só realizará esse belo espetáculo 14 vezes no século 21 e ontem foi a quarta vez, sendo que a última foi em 2016.  Além disso, o trânsito de Mercúrio é usado por astrônomos para aprimorar modelos sobre o funcionamento do Sistema Solar.

O presidente do CEAMONTES, Alisson Teixeira, lamentou a perda da oportunidade, pois afirma que são necessários equipamentos para observar esse fenômeno. São filtros ópticos  que são adaptados aos telescópios. Ele lembra que a entidade fez uma pesquisa para adquirir esses filtros, mas eles são de alto custo, pois é de R$2 mil cada. O trânsito de Mercúrio foi observado pela primeira vez pelo astrônomo Johannes Kepler no início do século 17. Ele acontece quando planetas mais próximos do Sol do que a Terra (Vênus ou Mercúrio) passam na frente da estrela do sistema.

Durante o trânsito, Mercúrio aparece sempre na forma de uma pequena mancha escura se movendo devagar pelo disco solar. É possível ver essa mancha, pois os planetas não giram em torno do Sol completamente alinhados. Ocorrem 7 graus de inclinação entre a órbita de Mercúrio e a terrestre, o que permite avistar o balé de órbitas. Desta vez, o show dura 5h30 e será visto no mundo todo, com exceção do centro e do leste da Ásia, Japão, Indonésia e Austrália. Quando transita pelo Sol, Mercúrio tende a diminuir a luminosidade da gigantesca estrela. Nessas horas de variação da luz solar, é possível procurar outros planetas que estão fora do Sistema Solar, conhecidos como exoplanetas — o brilho do Sol pode atrapalhar a observação de alguns desses planetas distantes. (GA)