Criadora do Conservatório será homenageada com borboleta

com Marina Lorenzo Fernandes

A professora Marina Helena Lorenzo Fernandez será homenageada hoje com uma escultura de borboleta, afixada na praça da Igreja Rosa Mística, no bairro São Luiz, nas imediações de onde reside a sua família. Ela entrou para a história de Montes Claros pela criação do Conservatório Lorenzo Fernandez, na cidade e ainda por protagonizar um episodio político inédito: foi exonerada do cargo em 1983, pelo grupo político do PMDB, mas por pressão de todos segmentos da sociedade, foi reconduzida no dia seguinte, por decisão do então governador Tancredo Neves e causando constrangimento a classe política da época.

O programa Jardim para Borboletas é vinculado ao projeto Para Além das Prisões, em parceria com o Ministério Público e busca homenagear mulheres que se destacaram na sociedade. A primeira foi a promotora Ana Elisa Marcondes, que morreu no ano de 2017 depois de submetida a cirurgia. Depois veio a enfermeira Tonha Colares e várias outras mulheres. As esculturas de borboletas são feitas de aço e sucata pelo artista Gu Ferreira, com o apoio de reeducandos do sistema penitenciário e de jardins, que são cuidados por pessoas em situação de rua.

A proposta do programa é homenagear 13 mulheres ainda este ano, destacando aquelas que possuem uma trajetória de vida de envolvimento com questões sociais, culturais, ambientais e educacionais. Até agora, já foram homenageadas a promotora Ana Heloísa Marcondes Silveira (praça da Rodoviária), a enfermeira Antônia Colares, a popular “Tonha da Santa Casa” (avenida Deputado Esteves Rodrigues), e a doméstica Maria da Conceição Silva, a “Maria de Custodinha” (Trevo da Sion). Além de dona Marina Fernândez e da Irmã Veerle, outras 8 mulheres já foram escolhidas pela comissão de parceiros que coordena o projeto: Yvone Silveira, Josefina Mendonça, Heloísa Sarmento, Dona Tiburtina, Zezé Colares, Yara Tupynambá, Dra. Príscila e Iara Souto.

A professora Marina Helena Lorenzo Fernândez Silva é fundadora do Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernândez e da Faculdade de Educação Artística (FACEART) – atual Departamento de Artes da Unimontes. À frente do Conservatório, com pulso firme e com ajuda das fundadoras, Dona Marina realizou trabalhos importantes  e de grande valor para cidade, incentivando a inovação e a motivação através da arte. Mulher dinâmica, à frente do seu tempo, vê perspectivas de mudanças no ser humano através das realizações artísticas. Após contribuir com o enriquecimento artístico-cultural da cidade e região, aposentou-se em 1987, indo fixar residência no Rio de Janeiro, para assim tomar conta do Conservatório Brasileiro de Música, fundado pelo seu pai, mas sem esquecer os laços artísticos e familiares com Montes Claros. (GA)