Escritora Amelina Chaves receberá Honoris Causa da Unimontes

Silvana Mameluque

O  Conselho Universitário (Consu) da Universidade Estadual de Montes Claros aprovou a concessão do título de  Doutor Honoris Causa da Unimontes à escritora norte-mineira Amelina Chaves. A proposta do título à escritora foi apresentada pelo conselheiro Antonio Wagner Veloso Rocha, professor do departamento de Filosofia,  e oficializada por meio da Resolução Consu 017/2019, assinada pelo reitor Antonio Alvimar Souza.

Em 2019, a instituição completa 30 anos como autarquia pública estadual. A antiga Fundação Norte Mineira de Ensino Superior (FUNM) foi transformada na atual Unimontes pela Constituição Mineira, promulgada em 30 de setembro de 1989. Neste ano, a universidade também alcança 25 anos de reconhecimento federal. Na comemoração, a Unimontes presta homenagem aos seus benfeitores e pessoas que contribuem com o desenvolvimento e a cultura da região.

O título de Doutor Honoris Causa é a maior distinção concedida por uma universidade. Na resolução assinada pelo reitor Antonio Alvimar Souza, são ressaltados “o inestimável e relevante trabalho que a escritora Amelina Chaves exerce no campo da literatura, da arte e da cultura; a sua memorável trajetória escrevendo obras que valorizam e preservam as raízes e os costumes sertanejos; e a sua participação primordial, decisiva e inquestionável como presidente da Associação dos Poetas e Repentistas do Norte de Minas Gerais”.

Na justificativa para a  distinção, é destacada a sensibilidade da escritora “em usar as palavras para expressar a condição humana do homem do sertão e das personalidades políticas e culturais do Norte de Minas Gerais, a habilidade em adentrar em variados gêneros literários como romance, conto, poesia, biografia e literatura infantil”.

Ao apresentar a proposição do título, o conselheiro e professor da Unimontes Antonio Wagner Veloso Rocha lembra que o trabalho de Amelina Chaves “é amplamente prestigiado em eventos e por instituições de ensino, sendo que uma das suas obras, “ O Flagelado, Príapo de Ébano”, foi indicada para o Programa de Avaliação Seriada para o Acesso ao Ensino Superior (PAES/Unimontes/3ª etapa), em 2019. Destaca também que o conjunto de obras da homenageada a credenciou para integrar a Academia Montesclarense de Letras, a Academia Feminina de Letras de Montes Claros e o Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros (IHGMC)”.

“A escritora Amelina Chaves é exemplo de pessoa simples, mulher norte – mineira que dedicou a sua vida à literatura. Seus escritos contribuíram imensamente para maior compreensão da arte, da cultura e história do sertão Norte mineiro”, diz a resolução do Conselho Universitário assinada pelo reitor Antonio Alvimar Souza.