IEF assume área do jardim zoológico de Montes Claros

A reunião com o IEF que celebrou a transferência
Foto: Fábio Marçal

Os montes-clarenses perderam, em definitivamente, mais uma área de lazer: a Prefeitura de Montes Claros passou, oficialmente, ao Instituto Estadual de Florestas de Minas Gerais o espaço onde funcionou, durante mais de 30 anos, o Jardim Zoológico Municipal, que será transformado em Centro de Triagem de Animais Silvestres. O zoológico foi fechado desde janeiro de 2017. Acaba com o sonho do então prefeito Antonio Lafetá Rebello, que criou o Parque Municipal Milton Prates, onde havia animais em cativeiro. Na década de 80 foi desmembrada a área, com o Jardim Zoológico tendo espaço isolado.

Na manhã de quarta-feira (10), foi assinado o termo de comodato, com duração de 25 anos, entre o município e o Estado, onde foi cedida parte do espaço do Jardim Zoológico de Montes Claros ao Instituto Estadual de Florestas (IEF), para a criação do Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS), que irá abrigar animais capturados, resgatados ou entregues, vindos de locais inapropriados, como áreas urbanas ou cativeiro. No Centro de Triagem os animais passarão por recuperação, no caso de estarem machucados, e por triagem, para serem catalogados e identificados antes de serem devolvidos à natureza.

O IEF usará uma verba de R$2 milhões, pagos pelo Grupo Sada, em compensação ambiental negociada com o Ministério Público, para instalar o CETAS. O secretário municipal de Meio Ambiente, Paulo Ribeiro, afirma que o CETAS é o melhor local para abrigar os animais que foram tirados do seu ambiente natural. “Nenhum animal deveria ser retirado do seu habitat natural para viver em cativeiro, mas, infelizmente, a crueldade humana persiste em mantê-los enjaulados e engaiolados, sem chances de poder retornar à natureza. Por isso, é importante a criação destes centros de triagens, que são dotados de profissionais capacitados para tentar reabilitá-los, além de realizar e subsidiar pesquisas científicas”, informou.

O zoológico, enfim, acabou