Impasse impede que Câmara aprecie Projeto da Limpeza durante reunião

O impasse entre os vereadores e a Prefeitura impediu que a Câmara Municipal  apreciasse, ontem de manhã, o projeto que estabelecia normas para a limpeza em Montes Claros. Apesar de o projeto estar na pauta durante três reuniões consecutivas, antes de ser aberta a pauta dos projetos o prefeito Humberto Souto mandou retirá-lo. Os vereadores alegam que, pelo projeto, haveria impactos financeiros para a população, pois cada residência teria que fazer a seleção do lixo produzido e, ainda, criar estrutura de embalagens para cada tipo de lixo.

A retirada do projeto destravou a pauta de projetos, pois, enquanto ele não fosse apreciado, nenhum outro projeto poderia ser levado à votação. O curioso é que nos últimos 20 dias o Jornal GAZETA vinha alertando sobre o impasse, pois os vereadores alegaram que a audiência pública determinava mudanças no projeto, mas elas não foram inseridas no projeto original.

O projeto tratava da obrigatoriedade da segregação, acondicionamento, disponibilização adequada dos resíduos sólidos, entre as determinações, definindo que as empresas que gerarem acima de 200 litros de lixo/dia, sejam responsabilizadas pela destinação do material. Após uma análise criteriosa das comissões legislativas da Câmara de Montes Claros, os vereadores fizeram algumas recomendações para a proposta, como emendas e correção na redação. Para não travar a pauta das reuniões, o Executivo preferiu retirar o projeto e entrar com ele novamente com as alterações solicitadas.