Moc reabre discussão sobre estado de São Francisco

A criação do Estado do São Francisco volta a ser discutida hoje (4), em Montes Claros, quando o professor e economista Marcos Fábio Martins de Oliveira ministrará palestra na Loja Maçônica Filhos de Hiram, localizada no bairro São José, em sessão pública para a comunidade. A iniciativa da Maçonaria e de outras entidades de classes surgiu em razão da discriminação do Governo com o Norte de Minas, ao não realizar nada em relação à escassez hídrica e, ainda mais na semana passada, quando decidiu extinguir o Comando Regional dos Bombeiros Militares somente no Norte de Minas, mantendo em outras regiões mineiras. Os organizadores da retomada desse movimento explicam que, além de chamar a atenção do Governo, o objetivo é despertar a sociedade para no ano de 2018 não votar em paraquedistas.

O professor Laurindo Meike, da Universidade de Montes Claros (Unimontes), na sua tese de mestrado pela Universidade de São Paulo, pesquisou e constatou que surgiram três tentativas de desmembrar o Norte de Minas: em 1967, com a criação do Estado de Cabrália; em 1986 com o Estado de São Francisco e, em 2003, com o Estado de Minas do Norte. Porém, ele lembra que, em 1840, o Senado criou o Estado do São Francisco, através de emenda, mas ele foi vetado. No ano de 1842 foi a vez de Teófilo Otoni. No ano de 1946 foi a vez de Milton Campos e Otávio Mangabeira. Porém, no dia 31 de janeiro de 1968 surgiu na Associação Comercial e Industrial de Montes Claros a União para o Desenvolvimento do Interior de Minas e Bahia, que visou criar o Estado de Cabrália.

No dia 20 de novembro passado a Maçonaria do Norte de Minas realizou o Movimento pela Crise Hídrica, para discutir como produzir água para enfrentar a seca atual que assola a região, já há sete anos consecutivos. Apesar de 12 deputados estaduais e federais, os mentores do movimento não conseguiram ser recebidos pelo governador Fernando Pimentel e nem pelo presidente Michel Temer. Pimentel quer receber a comitiva essa semana em Belo Horizonte, apesar de no dia 8 estar em Matias Cardoso, no Dia dos Gerais. Os organizadores do movimento decidiram retomar a discussão sobre a criação do Estado de São Francisco por observarem que, somente assim, conseguem as obras para a região.

Foi assim em 1967, quando enfim saiu a estrada de Montes Claros a Belo Horizonte e de Uberlândia-Pirapora-Montes Claros, quando se discutia a criação do Estado de Cabralia. No ano de 1986, com o projeto do Estado do São Francisco, surgiu as obras de pavimentação das BRs 251, 122 e a da BR-135 no trecho de Montes Claros a Itacarambi. No ano de 2003, com o projeto do Estado Minas do Norte, o Governo criou a Secretaria Estadual para o Desenvolvimento do Norte de Minas, atual Sedinor. Com esse movimento agora, esperam as obras das barragens de Berizal, Jequitaí, Congonhas e outras 22 barragens, além do Hospital do Trauma.