Montes Claros pede escola bilíngue para surdos

A Associação dos Surdos de Montes Claros solicitou ao Ministério da Educação a criação da primeira escola bilíngue do Norte de Minas, que ministrará as aulas com os idiomas Libra e o Português Escrito. O assunto foi discutido ontem de manhã no Ministério da Educação, em audiência com Karin Strodell, da Diretoria de Políticas de Educação Bilíngue, marcada pelo deputado federal Marcelo Freitas e com as presenças da Veronice Oliveira, da associação e do vereador Soter Magno. No evento, os responsáveis por esse setor foram convidados para o Seminário dos Surdos, a ser realizado em abril em Montes Claros. No mês de setembro, a primeira-dama Michele Bolsonaro é aguardada em Montes Claros.

A diretora da Associação dos Surdos, Veronice Oliveira, explica que essa escola bilíngue será a primeira de Minas Gerais e seguirá o modelo existente em Brasília, que será visitada nessa quinta-feira pela primeira dama Michele Bolsonaro. A associação lançará em abril o lançamento da pedra fundamental da sua sede, no bairro Canelas, onde funcionará essa escola bilíngue. O deputado federal Marcelo Freitas salienta que a atual política de inclusão insiste em colocar as crianças surdas junto com as ouvintes, sem haver o compartilhamento linguístico entre elas. Neste espaço, as surdas não adquirem sua língua natural de forma espontânea. (GA)