Nordeste Cidadania doa cestas para alimentar moradores de rua

Os moradores de rua de Montes Claros foram beneficiados com 25 cestas básicas doadas pelo Instituto Nordeste Cidadania (INEC), para a Pastoral de Rua, através da Associação São Camilo de Lelis. Rafael Batista Caires, da instituição, recolheu as 25 cestas e kits de higiene na sede do BNB Clube em Montes Claros. No total foram 1.000 cestas e kits distribuídas para instituições de Montes Claros, Capitão Enéas e Mirabela. Ontem o CEMEI da Rima, de Capitão Enéas, recolheu as 70 cestas.

Rafael Batista, da Pastoral de Rua de Montes Claros, explica que toda segunda-feira a noite são distribuídos 120 marmitex para os moradores de rua que ficam espalhados na cidade. Ele afirma que os estudos indicam de 500 a 800 moradores de rua na cidade e o Ministério Público tinha até mandado fazer o Censo dos Moradores de Rua, mas com a chegada da Pandemia, as atividades foram suspensas. Porém o que preocupa a Pastoral é o processo de higienização que está sendo implantado na cidade, com a retirada dos moradores de rua, como ocorreu na Praça da Matriz e na Rodoviária e agora anunciam para o Mercado Central.

O Instituto Nordeste Cidadania começou a distribuir na sexta-feira 1.000 cestas básicas e 1.000 kits de higiene pessoal para as instituições sociais de Montes Claros, Mirabela e Capitão Enéas que atendem famílias carentes.  A história do Instituto Nordeste Cidadania (Inec) remonta a 1993, quando os funcionários do Banco do Nordeste mobilizaram um Comitê de Ação da Cidadania para realizar ações emergenciais, como doações de cestas básicas, roupas e brinquedos. Em 1996, a iniciativa constituiu-se como Organização Não-Governamental (ONG) e passou a realizar projetos voltados à geração de emprego e renda. Em 2003, foi qualificada como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip), o que possibilitou a celebração de termo de parceria com o Banco do Nordeste para operacionalizar o Crediamigo, Programa de Microfinança Urbana. (GA)