Norte de Minas teve primeiro caso confirmado de dengue

A Superintendência Regional de Saúde confirmou um caso

O Norte de Minas teve o primeiro caso confirmado de dengue e mais 82 casos suspeitos que estão sendo analisados em laboratórios. O caso registrado foi na cidade de Nova Porteirinha, no mês de janeiro, quando o paciente passou a receber tratamento intensivo e foi curado. Os exames estão sendo realizados no Laboratório Macrorregional, sediado em Montes Claros. O assunto foi discutido com os gestores municipais de saúde,  quarta-feira (7), durante a realização da primeira reunião unificada de 2018 da Comissão Intergestores Regional (CIR) e da Comissão Intergestores da Região Ampliada de Saúde do Norte de Minas (CIRA).

A Superintendência Regional de Saúde de Montes Claros reforçou a importância dos municípios intensificarem as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, bem como o aumento da cobertura da vacina contra febre amarela.  A coordenadora do Núcleo de Vigilância Epidemiológica, Ambiental e de Saúde do Trabalhador, Josianne Dias Gusmão lembrou que o período de dezembro a maio é a época do ano considerada de alta transmissão de doenças transmitidas pelo Aedes, entre elas dengue, febre chikungunya e Zika Vírus. Daí a necessidade dos municípios reforçarem os trabalhos de vigilância envolvendo os mais diversos setores das prefeituras, visando à eliminação de focos do mosquito, além de notificar todos os casos suspeitos das doenças.

De acordo com Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa) e Levantamento de Índice Amostral (LIA) realizado em janeiro deste ano, na região ampliada de saúde do Norte de Minas 27 municípios apresentam índice de infestação do mosquito acima de 3,9%, o que coloca em risco a ocorrência de surtos de doenças transmitidas pelo Aedes. Já outros 43 municípios estão em situação de alerta por apresentarem índices de infestação do Aedes Aegypti superior a 1%.

Os municípios que estão em situação de risco para ocorrência de surtos de doenças transmitidas pelo Aedes são: Bocaiúva, Brasília de Minas, Buritizeiro, Capitão Enéas, Coração de Jesus, Espinosa, Francisco Sá, Ibiaí, Ibiracatu, Icaraí de Minas, Itacarambi, Lagoa dos Patos, Lassance, Lontra, Mamonas, Montalvânia, Monte Azul, Montes Claros, Padre Carvalho, Pedras de Maria da Cruz, Rubelita, São João da Lagoa, São João do Pacuí, São João do Paraíso, Taiobeiras, Varzelândia, Brasília de Minas, Ibiracatu, Icaraí, Itacarambi, Lontra, Montalvânia, Várzea da Palma e Varzelândia.

Josianne Gusmão lembrou que é de fundamental importância que toda segunda-feira os municípios enviem à Superintendência Regional de Saúde os casos prováveis das doenças transmitidas pelo Aedes. Com base nos dados, nas localidades onde esteja ocorrendo alta taxa de incidência, a SRS terá condições de avaliar quais medidas serão adotadas visando conter a proliferação dos focos do Aedes. (GA)