Núcleo de Psicologia Social quer curso na Unimontes

A criação do curso de Psicologia pela Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) é uma das lutas do Núcleo de Psicologia Social em Montes Claros, que realizou, no último sábado (14), uma discussão sobre a ampliação das suas atividades. Desde o ano de 2016 que Montes Claros criou esse núcleo, com três psicólogos, e agora conta com 20 associados, mas espera aumentar de forma considerável o numero de associados.

Atualmente o curso de Psicologia é ofertado em quatro faculdades particulares de Montes Claros e passará a formar em média 250 profissionais por ano. O Conselho Regional de Psicologia tem 800 profissionais filiados e legalizados.

No sábado pela manhã um dos temas abordados foi a contribuição da Psicologia Social Crítica na conjuntura da política nacional no I Encontro do Núcleo Montes Claros da Associação Brasileira de Psicologia Social (Abrapso).

O encontro (fotos) foi organizado pelo Núcleo Abraspo em Montes Claros e pelo Departamento de Saúde Mental e Coletiva da Unimontes, com o apoio do Grupo de Trabalho, Estudos e Pesquisas de Psicologia na Assistência Social (Gtepas), da Universidade e da Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene (Amams). A palestra “Repensando a Psicologia Social no atual Cenário Político Brasileiro” foi da doutora em Psicologia Social, Andréa Moreira Lima, coordenadora da Abraspso – Minas Gerais.

As professoras e psicólogas Vera Lúcia Trabbold, Aline Rabelo e Josiane Serafim salientam que o curso de psicologia surgiu em Montes Claros no ano de 2000, por iniciativa da Faculdade Pitágoras, e que, apesar de tantos profissionais formados, observa-se um aspecto importante: eles estão se espalhando pelo Norte de Minas, permitindo que a população tenha acesso a esse serviço.

As três lembram que, tanto o poder público, quanto empresas têm aberto vagas para os profissionais da psicologia e isso permite que haja democratização do atendimento em casos de violência, direitos humanos e no combate as desigualdades sociais.

Ainda no sábado, na parte da tarde, os participantes tiveram o minicurso “Identificação de Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes”, ministrado pela professora Vera Lúcia Mendes Trabbold, coordenadora do Núcleo Abrapso em Montes Claros e doutora em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). No minicurso foram abordados temas como o que é violência sexual, indicadores, sinais e sintomas e para onde encaminhar os casos.

Trabbold ressalta que “o evento abre o debate sobre as contribuições da Psicologia Social Crítica nesse cenário de incertezas quanto aos rumos da democracia no país, de restrições em relação à manutenção de direitos historicamente conquistados”. (GA)