Paulo Guedes abre negociações entre professores grevistas e Estado

O deputado Paulo Guedes com o presidente da Adunimontes,
Afranio Melo

O deputado Paulo Guedes se reuniu, na manhã de sábado (14), com os professores da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) que estão em greve, quando recebeu a denúncia de que no dia anterior foi realizado o pagamento do mês de março, no qual alguns contracheques vieram com apenas R$ 0,16 de saldo e muitos outros até com saldo negativo de R$300,00. Foram afetados 350 professores com esse corte. A denúncia é que alguns, sem qualquer participação na greve, tiveram o salário cortado e outros que participaram não foram afetados pelo corte.

Os grevistas acusam o reitor João Reis Canela pela postura radical, contrariando a orientação do Estado. Por isso, o prédio da reitoria está ocupado pelos manifestantes, que criaram o ‘Canelômetro’, para medir o período da invasão. Enquanto não for colocado em dia o pagamento do mês de março, o local continuará ocupado, segundo os grevistas. As negociações com o Estado sobre a greve também estão suspensas, pois o Comando de Greve entende que não pode abrir duas frentes de discussões.

O presidente da Associação dos Docentes, Afranio Melo, explica que o diretor de relação sindical do Estado, Carlos Calazans, já tinha determinado que não haveria retaliação aos grevistas, mas a Unimontes contrariou essa norma e com isso, travou toda negociação. O assessor assegurou que ainda em abril sairá uma folha de pagamento extra, para pagar o salário de março, mas os grevistas querem essa medida ainda essa semana.

O diretor da Adunimontes, Narciso Ferreira Neto, apontou o quadro vivido por muitos professores, que estão querendo invadir o gabinete do reitor.

O deputado Paulo Guedes anunciou que a orientação do Estado é de não haver retaliações e que os cortes foram uma decisão da direção da Unimontes. Ele comunicou que abrirá novo canal de negociação com o Estado para garantir o pagamento de março e ainda participará da conversa com o Ministério Público sobre o acordo que está sendo celebrado entre Estado e Adunimontes para acabar com a greve.

Paulo Guedes com os grevistas