Prefeito aciona Polícia para líder contratado demitido

Maurisan Gonçalves

O prefeito Humberto Souto, do Cidadania, fez uma representação na Delegacia de Polícia contra seu ex-assessor Maurisan Gonçalves, o acusando de injuria, calunia e difamação nas redes sociais. A representação assinada pelo procurador-geral Otávio Batista Rocha Machado pede providências contra o acusado. Ele foi intimado pelo delegado Carlos Alexandre Gomes dos Santos, quando compareceu na manhã de quarta-feira e foi marcada o comparecimento no dia 2 de fevereiro de 2021 perante o Juizado Especial Criminal.

O advogado Custódio Adriano Pereira explica que a representação contra Maurisan demonstra o interesse de intimidar o líder comunitário, que tem cobrado obras da Prefeitura nos bairros da cidade. Aliado a isso, implica em censura, pois como cidadão, pode expressar o que entender. O advogado salienta que na Policia Civil o líder comunitário reforçou que estava discutindo com um secretário municipal que mandou exonera-lo da Prefeitura, mas não se lembra de ter ofendido qualquer pessoa. Se isso ocorreu, foi no calor da discussão. O advogado acrescenta que no Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), basta o líder comunitário fazer a retratação.

O líder comunitário Maurisan Gonçalves atuou na campanha de 2016 do então candidato Humberto Souto e depois foi contratado na Prefeitura em 2017. Porém no ano de 2018 foi exonerado e isso gerou muita polêmica nas redes sociais, com ele fazendo uma série de acusações. Naquele ano, o líder comunitário chegou a ser preso pela Polícia Militar, acusado de esmurrar a parede interna da Câmara Municipal, e após pagar fiança de R$ 1,3 mil e foi liberado. Isso fez crescer as denuncias contra a administração. (GA)