PT determina que filiados peçam demissão da Prefeitura

O Partido dos Trabalhadores decidiu determinar a todos filiados que devem se  demitir dos cargos comissionados e contratados na Prefeitura de Montes Claros ou então se desfilarem do partido, pois será assumida a condição de oposição ao prefeito Humberto Souto. A reunião do partido foi realizada na sexta-feira à noite, no auditório a antiga Câmara Municipal, quando o partido comunicou que terá candidato a prefeito em 2020. O evento não teve a presença dos petistas que estão na administração. Até mesmo o vereador Aldair Fagundes, único eleito pelo partido, deixou de comparecer, apesar de alertado que a sua suspensão por 70 dias tinha acabado. A reunião mostrou o partido dividido entre os grupos dos deputados Paulo Guedes e Marilene Leninha e dos movimentos sindicais municípios.

No documento publicado ao final do encontro, são citadas as mortes nas tragédias da Vale e, ainda, que em Montes Claros o prefeito Humberto Souto foi eleito por uma pauta extremamente conservadora e isso se confirmou ao aliar com os candidatos Anastasia e Bolsonaro.

O PT reitera que faz oposição ao atual Governo Municipal e determina que seus filiados não ocupem cargos. O presidente Paulo Rogério Silveira explica que somente os petistas que foram contratados ou tem cargos de confiança devem pedir o desligamento. Os servidores efetivos não serão afetados, mas terão que pedir desligamento do cargo de chefia.

Se o vereador Aldair Fagundes, que é do PT, não compareceu, o vereador Daniel Dias, do PCdoB, foi ao encontro petista e salientou a importância da parceria com o partido para as eleições em Montes Claros. Ele lembrou que tem seu mandato graças à força do PT e que o PCdoB, a ser extinto em pouco tempo, tem interesse de continuar ao lado petista na eleição de 2020. O presidente do PT, Paulo Rogério, explica que junto com a deputada Marilene Leninha, se reuniu com Aldair Fagundes, quando lhe mostrou que a suspensão de 70 dias tinha acabado e ele poderia participar, mas que o PT adotaria uma postura de rompimento com o prefeito Humberto Souto.

A deputada Marilene Leninha fez análise do cenário estadual para o PT e explicou que está no bloco de oposição ao governador Romeu Zema e, por isso, está na linha de criação da Comissão Parlamentar de Investigação sobre a tragédia de Brumadinho, com o rompimento da barragem. O secretário estadual do partido, Alfredo Ramos, também fez a abordagem sobre o cenário geral, salientando a situação em Montes Claros, onde o prefeito Humberto Souto tem atropelado o partido.