Raquel Muniz atacada em protestos pelas ruas de Moc

A deputada Raquel Muniz e o presidente Michel Temer voltaram a ser alvos dos protestos realizados ontem de manhã em Montes Claros, organizados pelos movimentos sindicais e contra a reforma da previdência. O ato reuniu poucas pessoas, pois depois da aprovação da reforma trabalhistas, eles ficaram desanimados. Os coordenadores do protesto  argumentaram que escolheram a deputada como vítima dos ataques pois é a única representante do Norte de Minas e que mesmo assim, votou a favor do Governo, para beneficiar o seu hospital, que desde então foi credenciado pelo SUS.

A concentração ocorreu na praça Doutor João Alves, próximo a antiga casa da deputada Raquel Muniz e onde em 6 de fevereiro de 1930 ocorreu o ataque ao então vice-presidente Fernando Melo Viana, comandado pela Dona Tiburtina, que deu início ao Golpe de 1930, onde Getúlio Vargas foi eleito Presidente da República. Depois da concentração, os manifestantes saíram pelas ruas da cidade e se concentraram em frente a agencia do INSS em Montes Claros.

Com palavras de ordem, os manifestantes acusaram Michel Temer de ter dado o golpe que derrubou Dilma Rousseff. Alertaram que depois da reforma trabalhista, que fragilizou os trabalhadores, ele está vendendo a classe trabalhadora para ajudar os grandes bancos. As ruas foram isoladas pela MCTrans e com isso, pequenos congestionamentos foram registrados na área central da cidade. (GA)