Trabalho infantil debatido em dois eventos em Moc

 

Soledade Queiroz e Rodrigues Freitas, no evento do Estado

A erradicação do Trabalho Infantil está sendo discutida em dois eventos distintos em Montes Claros. Na quarta-feira, o Ministério Público do Trabalho e a vereadora Delcinéia Santos Silva realizaram discussão sobre a Rede de Proteção em Montes Claros, no auditório da Câmara Municipal. No mesmo horário, a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social iniciou o Encontro das Ações Estratégicas de Erradicação do Trabalho Infantil, para 32 municípios, na sede da Faculdade Ibituruna de Saúde. O evento prossegue até o final de hoje. O curioso é que não se sabe qual a quantidade de crianças que estão sendo explorados no trabalho infantil. O Estado mostrou que em Minas Gerais teve 147.289 casos registrados em 2014.

A vereadora Delcinéia Santos explica que em parceria com o MPT realizou a reunião tendo em vista que projeto aprovado na Câmara Municipal que cria o primeiro emprego para Jovens Aprendizes, mas ainda sem ser executado. É que depende de uma lei a ser publicada pelo prefeito Humberto Souto, mas que ainda depende de elaboração pela assessoria jurídica. Na sua concepção, mesmo com a campanha, ainda existem muitos casos sem serem notificados. Por isso, a formação da rede.

A superintendente regional da Sedese, Soledade Queiroz explica que a capacitação realizada de quarta-feira até hoje envolve 140 técnicos de 32 municípios da área mineira da Sudene, visando orientar esses profissionais de como atuarem na prevenção e combate ao trabalho infantil. O problema é que falta dados corretos da quantidade de crianças trabalhando, mas ela lembra que a situação é mais grave nos casos domésticos. Rodrigo de Freitas, coordenador de Proteção Social Básica de Janaúba concorda que existe a máscara nesse setor. Janaúba tinha aproximadamente 600 casos em 2014 e agora está apertando o cerco para identificar essas crianças. Somente no serviço de convivência, ele lembra que são de 30 a 40% dos casos. (GA)

O evento realizado pelo MPT