Começa hoje, em Bocaiúva, série de feiras de artesanato

Evento passará também por Almenara e Araçuaí; a cada edição um artesão é homenageado, esse ano a escolhida é Dona Rosarinha Cunha

Começa nesta quarta-feira (8), em Bocaiuva, a série de feiras de artesanato organizada pela Rede de Artesanato do Vale do Jequitinhonha e o Instituto Sociocultural Valemais, em parceria com a Associação Bocaiuvense de Artesãos (ABA). Com cerca de 400 mil profissionais atuando na área no Estado, cerca de 5% do total do Brasil, estima-se que o setor alcance R$3 bilhões ao ano na economia mineira, o, por sua vez, equivalente a 10% de toda a produção do setor no país.

Reconhecido como patrimônio imaterial pelo Instituto Estadual de Patrimônio Histórico e Artístico, no final de 2018, o artesanato do Jequitinhonha vive uma fase especialmente promissora, com a estruturação de um conjunto de programas e ações pelo poder público, em parceria com a sociedade civil.

“O artesanato mineiro ganha neste primeiro trimestre de 2019 uma nova plataforma de promoção e difusão, com a realização das Feiras de Artesanato do Vale do Jequitinhonha”, divulgou a Rede de Artesanato, completando que após a edição bocaiuvense, que acontece entre os dias 9 a 12, o evento segue para Almenara, entre os próximos dias 23 e 26; e Araçuaí, de 13 a 16/2.

“A iniciativa reflete um processo de crescente institucionalização do setor em todos os níveis de governo e de valorização do segmento como vetor de alto impacto nas indústrias criativas e na economia do país – como ilustra a portaria do Governo Federal que instituiu, em junho de 2018, o Programa do Artesanato Brasileiro, que criou a Comissão Nacional de Artesanato e definiu bases conceituais para a área”, explicou a Rede de Artesanato.

O movimento em MG ganhou visibilidade com a instituição do programa +Artesanato e do Plano Quadrienal de Desenvolvimento do Artesanato Mineiro, no lançamento de edital de fomento para a área pela Codemge, na criação de uma cadeira dedicada ao artesanato no Conselho Estadual de Políticas Culturais (Consec), além da implantação do Plano de Salvaguarda para o Artesanato em Barro do Vale do Jequitinhonha pelo IEPHA MG.