Folia de Reis: a resistência no pulsar da tradição

No próximo domingo (24) o Cinema Comentado Cineclube e o jornalista Pedro Rodrigues lançam o documentário ‘Folia de Reis: a resistência no pulsar da tradição’. Como produção independente concluída em 2018, o filme foi realizado com o incentivo do SISMIC - Sistema Municipal de Incentivo à Cultura. A sessão, gratuita, acontece na sala de Audiovisual do Centro Cultural Hermes de Paula, às 19h30.

A obra retrata parte da tradição da Folia de Reis, seus motivos, costumes, características e dificuldades. Como uma festividade popular, a Folia de Santos Reis atravessa gerações. Atualmente, o grande desafio é a transmissão dessa cultura a uma nova linhagem, pois, de décadas em décadas sempre houve a manutenção dos ternos. Agora, com o enfrentamento dos obstáculos, mais do que nunca é preciso ter perseverança.

Como filho de folião, o objetivo do jornalista ao produzir o documentário foi resgatar a tradição da Folia de Reis. A preocupação com o registro surgiu, principalmente, por causa da idade avançada da maioria dos participantes e a falta interesse dos mais jovens em continuar com as atividades. "Desde criança eu sempre acompanhei meu pai na folia, em casa, e como não tenho o dom para música, não segui como folião", explica. Pedro conta que, mesmo antes de começar o curso de Comunicação, já tinha em mente um projeto em homenagem ao pai e aos companheiros. "O edital do SISMIC foi o incentivo que faltava para dar início ao projeto, até então arquivado", revela.

Pedro conta que outro fator de motivação foi a falta de reconhecimento da Folia de Reis. "A tradição tem quase um século e não é valorizada por muitos", diz. Além disso, as mortes de alguns integrantes do terno do pai também foram essenciais para reforçar o desejo de produzir o documentário. "Fico muito feliz de conseguir realizar este filme e, a partir dele, dar início a um novo projeto: o registro de novos grupos e suas características”, finaliza Pedro Rodrigues.

 

O AUTOR

Pedro Rodrigues é jornalista, formado em 2016. É documentarista com registro da Ancine (Agência Nacional do Cinema) e editor. Trabalha no laboratório de rádio e TV de uma faculdade em Montes Claros-MG. Pedro foi premiado na Mostra Cinepequi, em 2016, com menção honrosa para o documentário “Charge - uma perspectiva de opinião no Norte de Minas”; e com o prêmio de melhor documentário do Norte de Minas com a obra “Ateneu – 70 anos de história”, em 2017. Como acadêmico venceu o prêmio de 3° lugar no concurso cultural “Montes Claros pelo olhar universitário”. Trabalha com vídeo há mais de 3 anos, entre edições de programas, produções de matérias jornalísticas, telejornal transmitido em circuito fechado e entrevistas.

 

CINEMA COMENTADO

O Cinema Comentado Cineclube existe desde 2003 e tem como objetivo democratizar o acesso às produções audiovisuais. As sessões promovem o contato dos espectadores com um Cinema que foge aos padrões da programação oferecida pelas salas dos shoppings centers.

O projeto visa, também, criar uma identidade entre o cinema (arte, ritual, meio de comunicação de massa e manifestação cultural) e a sociedade. É o momento de trabalhar o filme junto ao público: além de propiciar o conhecimento técnico dessa produção artística, precisa-se evidenciar a importância de um filme com “bem cultural” – que afeta os mais diversos espectadores e provoca uma sensibilização do olhar quando o público pode assistir obras “diferentes” daquilo que consome regularmente na TV, DVD ou internet, e nos grandes circuitos de salas de exibição. (Vanessa Araújo/Cinema Comentado Cineclube)