Cai o valor estimado do salário mínimo para o ano que vem

A LDO de 2018 foi sancionada com vetos pelo presidente Michel Temer,
no dia 9 de agosto

O Governo Federal revisou para baixo a previsão para o salário mínimo em 2018. Com a justificativa de uma perspectiva de crescimento menor do País e avanço mais lento da massa salarial. O valor previsto na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) do ano que vem era de R$ 979,00, mas agora passou a R$ 969,00, segundo os novos cálculos do governo. A mudança foi divulgada pelo Ministério do Planejamento. Atualmente, o salário mínimo está em R$ 937.

Ainda segundo informou a pasta, o valor do salário mínimo pode mudar até o início do próximo ano. Já que o orçamento trabalha apenas com estimativas. “O salário mínimo só será conhecido em janeiro. Até lá, várias coisas podem mudar”, declarou.

Por lei, até 2019, o salário mínimo é definido com base no crescimento da economia de dois anos antes mais a inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), índice próximo ao IPCA. Como o PIB recuou 3,6% em 2016, a variação negativa não se refletirá no salário mínimo de 2018.

A LDO de 2018 foi sancionada com vetos pelo presidente Michel Temer no dia 9 de agosto. Ela estabelece as metas e prioridades do governo para o ano que vem, e orienta a elaboração da lei orçamentária anual. Esta será a primeira LDO a entrar em vigor após aprovação do “Teto de Gastos Públicos”, que atrela os gastos à inflação do ano anterior, por um período de 20 anos.

Nessa terça (15), o governo propôs elevar o teto para o rombo das contas públicas em 2017 e 2018 para até R$ 159 bilhões e anunciou uma série de medidas para aumentar a arrecadação e reduzir custos, entre elas o adiamento de reajustes a servidores e a criação de um teto salarial para o serviço público. Com o salário mínimo menor, portanto, o governo economiza nas despesas com o pagamento desses benefícios.

De acordo com o governo, as medidas são necessárias porque a arrecadação com impostos e tributos está mais baixa que a prevista, reflexo da recuperação da economia que é mais lenta que a esperada. (Com informações da Agência Brasil)