Índices econômicos apresentam resultados positivos em janeiro

Dois indicadores de mercado de trabalho, medidos pela Fundação Getúlio Vargas, tiveram melhoras de dezembro de 2018 para janeiro de 2019. Os números foram divulgados nessa quinta-feira (7). O Indicador Antecedente de Emprego, que busca antecipar tendências futuras com base em entrevistas com consumidores e empresários da indústria e dos serviços, avançou 4,1 pontos. Com a alta, o indicador chegou a 101,1 pontos em uma escala de zero a 200, o maior patamar desde abril de 2018.

De acordo com economistas, os resultados positivos nos últimos meses sinalizam uma retomada da recuperação do mercado de trabalho. Já o Indicador Coincidente de Desemprego, que busca refletir a percepção dos consumidores sobre a situação do desemprego atual, recuou 4,4 pontos em janeiro. Com isso, o indicador caiu para 94,5 pontos, em uma escala de zero a 200, em que quanto menor o resultado, melhor é a percepção do cidadão.

PREÇOS | Ainda nessa quinta-feira (7), a inflação medida pelo Índice Geral de Preços-Disponibilidade Interna ficou em 0,07% em janeiro de 2019. A taxa ficou acima da queda de preços de 0,45% registrada em dezembro de 2018. A taxa acumulada em 12 meses é de 6,56%. Segundo a Fundação Getúlio Vargas, a alta da taxa foi puxada por três subíndices que a compõem: a inflação do varejo, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor, subiu de 0,29% em dezembro do ano passado para 0,57% em janeiro deste ano; o Índice Nacional de Custo da Construção passou de 0,13% para 0,49% no período; e os preços no atacado, medidos pelo Índice de Preços ao Produtor Amplo, continuaram registrando deflação, mas com uma taxa mais moderada. (JM)