MAIO Sobe para 63% número de famílias endividadas

Dados divulgados nessa terça-feira (11), pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), mostram que o percentual de famílias endividadas no país ficou em 63,4% em maio. A parcela de famílias endividadas é superior à registrada em abril (62,7%).

Essa é a quinta alta consecutiva do indicador nesse tipo de comparação. A parcela dos endividados também cresceu na comparação com maio do ano passado, quando foi registrada uma taxa de 59,1%.

O percentual de famílias inadimplentes, isto é, com dívidas ou contas em atraso, ficou em 24,1%, acima dos 23,9% de abril deste ano, mas abaixo dos 24,2% de maio de 2018. Já as famílias que não têm condições de pagar suas contas ou dívidas somam 9,5%, o mesmo percentual de abril, mas abaixo dos 9,9% de maio do ano passado.

Segundo a Confederação, o percentual de famílias que se consideram muito endividadas caiu para 12,9%. Em abril, eram 13% e, em maio, 13,4%. A maior parte das dívidas (78,6%) se refere a cartões de crédito. O tempo médio de comprometimento com dívidas chega a sete meses e o tempo médio com pagamento em atraso é de 62,9 dias.

INTENÇÃO | Já a Intenção de Consumo das Famílias recuou 1,7% na passagem de abril para maio deste ano, também segundo dados CNC. Com o resultado, o indicador caiu para 94,6 pontos, em uma escala de zero a 200 pontos.

Na comparação com maio do ano passado, no entanto, a Intenção de Consumo das Famílias cresceu 8,6%, devido principalmente às avaliações sobre o nível de consumo atual (com crescimento de 16%), sobre a intenção de compra a prazo (11,3%) e sobre a renda atual (10,9%).

Conforme estudo da Confederação, a queda foi provocada principalmente por avaliações mais negativas sobre a perspectiva de consumo (-3,6%) e sobre a perspectiva profissional (-3%). O único dos sete componentes a apresentar alta foi o nível de consumo atual (0,4%).