Norte de Minas quer ser exportador de energia

Uilton Rocha, no destaque, enfatizou o potencial do Norte de Minas

O Norte de Minas quer exportar energia, em pouco tempo, utilizando a produção de mais de 8,4 gigawatts que passará a produzir de energia solar, eólica, biomassa e até mesmo oriundo dos resíduos sólidos. Os dados foram passados durante o II Congresso Norte Mineiro de Energias Renováveis, realizado no auditório da Sociedade Rural, dentro da Feira Nacional da Indústria, Comércio e Serviços de Montes Claros (Fenics).

Somente como exemplo, o Banco do Nordeste recebeu o pedido de financiamento de R$3,2 bilhões de duas empresas que aplicarão a verba em linha de transmissão, atendendo a demanda a ser gerada. O coordenador do Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas (Idene), Davidson Barbosa Dantas, explica que, neste evento, o grande ganho é a criação do Fórum Permanente de Energias, do Norte de Minas, para focar as energias renováveis.

Mais detalhes na edição de amanhã do Jornal Gazeta Norte Mineira, versões impressa e online. (Foto: Girleno Alencar)