Agronomia comemora 20 anos com plantio de árvores

A sede do ICA UFMG

O Instituto de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Minas Gerais comemora hoje, em Montes Claros, os 20 anos do curso de Agronomia, com o plantio de arvores no campus universitário, às 15 horas.  As comemorações foram iniciadas ontem e prosseguem até hoje.  Em 1998 foi criado o primeiro curso de graduação no então Núcleo de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Localizado no antigo Colégio Agrícola de Montes Claros, em 2008, o núcleo passou para o status de Instituto de Ciências Agrárias (ICA), se caracterizando como a única unidade acadêmica da UFMG fora da capital mineira.

A primeira turma do curso ingressou no campus em 1999.  A implantação do curso abriu caminho para a oferta de novos cursos de graduação e pós-graduação pela Universidade no Norte de Minas e consolidou a presença da UFMG na região com produção de conhecimento científico, formação superior de qualidade e gratuita e com a oferta de ações de extensão que estreitaram os laços entre Universidade e sociedade. “Os vinte anos da agronomia simbolizam vinte anos de sonhos. Sonhos de pessoas que se esforçaram incansavelmente para a criação e continuidade do curso. Sonho dos alunos que já se formaram e ainda formarão”, comentou o professor Alcinei Místico, professor do ICA e coordenador do curso.

O professor ressalta que o campus da UFMG de Montes Claros tem grande importância social para o Norte de Minas Gerais. “Nesta região se destacam atividades agrícolas desempenhadas principalmente por pequenos produtores rurais, o que está em sintonia com o curso de Agronomia. Neste contexto, o nosso campo amplia a relevância social da UFMG e abrangi mais atividades de ensino, pesquisa e extensão no Estado de Minas Gerais. Para nós é uma grande alegria visualizar o sucesso de nosso curso e saber que contribuímos para que outros cursos tenham sido criados em nossa unidade”, reforçou.

De acordo com o professor, a criação do curso contribuiu para o desenvolvimento regional e formação de pessoal. Aliado à oferta de atividades de extensão que proporcionam a otimização de sistemas produtivos na região. “Nossos egressos também tem grande importância neste desenvolvimento. Temos egressos atuando com excelência, não apenas no norte de Minas Gerais, mais em todo o território Brasileiro e também em outros países. Muitos de nossos egressos são referências em suas áreas de atuação em universidades, empresas públicas e privadas. Olhamos nossos egressos com o sentimento de dever cumprido e sabemos que nossos atuais discentes e os que virão também nos darão muito orgulho”, destacou Alcinei. (GA)