Estudantes correm risco de perder bolsa de iniciação

Os protestos dos alunos

Um grupo de 2.166 estudantes de Montes Claros corre risco de perder a ajuda financeira de R$ 400,00 por mês do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid), em razão da decisão do Ministério da Educação de cortar esses recursos. O programa estará em vigor até fevereiro, quando encerra seu prazo. Na noite de terça-feira o assunto foi discutido em audiência pública na Câmara Municipal, quando ficou definido que haverá mobilização política para tentar reverter à situação. O programa começou com 135 bolsistas em 2009 e chegou a 2.667 em 2013, mas caiu para os atuais 2.166. Com essa bolsa, vários estudantes de Montes Claros participaram de eventos realizados em vários países, expondo os seus trabalhos.

A professora Silvana Diamantino explica que o MEC repassa R$ 400,00 para cada aluno, R$ 765,00 para os professores da educação básica e R$ 1,4 mil para os professores da Unimontes. Ela lembra que ocorreu um crescimento gradual do programa, Um dos impactos positivos foi permitir a injeção de R$ 796 mil para custeio das escolas envolvidas, de 2013 a 2017. Isso ajuda na compra de material didático e ainda aos acadêmicos, que puderam apresentar os seus trabalhos em Minas Gerais e Brasil e até mesmo na Tailândia, Portugal, Coreia do Sul, Costa Rica, Argentina e Espanha.

O reitor da Unimontes, João dos Reis Canela entende que a situação depende somente da classe política, pois a Unimontes realizou todo tipo de ação junto ao Ministério da Educação para tentar assegurar os recursos. Ele explica que a situação foi provocada pela necessidade de racionalização dos recursos federais, mas a esperança é que o assunto seja resolvido em pouco tempo. Nayara Ferreira Elias, acadêmica do 8º período de Geografia, lamenta que exista esse problema, pois desde o primeiro período participa do PIBID e foi a Vitória, do Espírito Santo, no Encontro Nacional do PIBID e pode apresentar o que ocorreu em Montes Claros nessa área.

O vereador Daniel Dias enfatiza a importância pela mobilização de toda comunidade universitária e a sociedade civil organizada, nesta luta pela manutenção do Pibid. “Precisamos lutar pela sua manutenção, independente de coloração partidária. O encerramento do Programa, com certeza vai afetar na formação dos novos professores. Em Montes Claros, mais 2 mil bolsistas são beneficiados com valores mensais que variam de R$ 350,00 a R$ 1.200 por aluno”, informou.

Silvana Diamantino e o vereador Daniel Dias