América goleia Sport na volta à elite e empolga torcida

O América reestrou na Primeira Divisão em grande estilo. O Coelho aproveitou bem o fator campo e goleou o Sport por 3 a 0, na manhã desse domingo (15), empolgando os mais de oito mil torcedores que foram ao Independência. O destaque foi Serginho, que marcou duas vezes e participou da jogada em que o lateral-esquerdo Carlinhos balançou as redes.

O América começou muito ligado e liquidou a fatura no primeiro tempo, ao marcar os três gols. Campeão da Série B no ano passado, o Coelho entrou motivado e somou três pontos em casa, largando bem no retorno à elite nacional. O Sport, por sua vez, pagou caro pela inoperância e os vacilos na etapa inicial. O time pernambucano até buscou mais o ataque, na segunda metade, mas ainda assim não conseguiu tirar a diferença.

O América volta a campo para encarar o Flamengo, no próximo sábado (21), às 19h, no Maracanã, jogo que marcará a despedida do goleiro Júlio César, do rubro-negro. Já o Sport terá pela frente o Botafogo, na segunda-feira (23), às 20h, no fechamento da segunda rodada.

Na volta à Série A, o América começou com motivação extra. Tanto que abriu o placar logo no primeiro minuto, já levantando a torcida no Horto. Luan cruzou da esquerda, Aylon ajeitou, Rafael Moura escorou e Serginho se antecipou ao goleiro Agenor, cabeceando para as redes: 1 a 0.

Tranquilo com a vantagem, o América controlou as ações. O Sport, muito tímido, pouco criou. A não ser em chutes de longe, já que não conseguia penetrar na área do Coelho. Aos 35, o América ampliou em outra jogada pela esquerda, em nova participação de Serginho.

O camisa 10 mandou para a área, Agenor se atrapalhou com Léo Ortiz no momento de catar a bola, que sobrou para Carlinhos emendar para as redes: 2 a 0. O clube rubro-negro desmoronou de vez. E levou o terceiro, aos 38min. Serginho recebeu passe de Luan, tirou a marcação com um leve toque e invadiu a área para chutar forte, sem chances de defesa: 3 a 0.

Nos instantes finais, o técnico Enderson Moreira aproveitou a vantagem para rodar o grupo e observar alguns jogadores, como Zé Ricardo, Gerson Magrão e Wesley. No Sport, Nelsinho Baptista fez o que pôde, mexeu para buscar maior consistência ofensiva, mas não obteve sucesso. Prevaleceu o bom começo do América, comandado por Serginho. (Super Esportes)