Após empate com Cruzeiro, Mancini diz que Atlético ainda sonha com Libertadores

Embora admita que a briga do Atlético no Campeonato Brasileiro é para se salvar de vez da possibilidade de rebaixamento, o técnico Vagner Mancini ainda sonha com vaga na próxima edição da Copa Libertadores. O treinador falou sobre a situação da equipe alvinegra na competição após o empate por 0 a 0 com o Cruzeiro, neste domingo, no Mineirão, pela 32ª rodada.

“Eu acho que ainda é possível, sim (conquistar vaga na Libertadores). Tudo é estudo momentâneo. Hoje, temos que ganhar mais uma partida para respirar. A partir do momento em que ganharmos mais uma partida, de nove pontos a gente terá feito sete. E aí você passa a pontuar de uma forma diferente no campeonato, você passa a buscar, por que não, até o sexto lugar. Eu acho que é possível. Difícil? Difícil. Mas é possível, sim”, disse o treinador. O Atlético chegou aos 40 pontos com o empate sem gols contra o Cruzeiro. Ao analisar o resultado, Mancini admitiu que o jogo teve baixa qualidade técnica e considerou justa a igualdade.

“Foram 20 minutos de domínio do Cruzeiro, e aí nós equilibramos as ações ainda no primeiro tempo e tivemos um domínio maior na segunda etapa. Acho que o resultado foi justo, mas se tivesse que ter um vencedor seria o Atlético, porque nos últimos dez minutos, talvez um pouquinho mais de lucidez em um ou outro lance a gente certamente chegaria ao gol. Mas analisando o jogo de uma ótica diferente, foi um jogo de muita briga de muita imposição física. Acho que o Atlético se impôs mais fisicamente também na segunda etapa. Não foi um jogo muito plástico, de jogadas lindas. Acho que foi tenso, muito mais do lado da luta e da raça do que da parte técnica”, avaliou.

Antes do jogo, existia a expectativa pela titularidade dos jovens Bruninho, de 18 anos, e Marquinhos, de 20. Os dois, porém, foram reservas. Questionado sobre os garotos, Vagner Mancini admitiu que demorou a colocá-los em campo.

“Após o término da partida, pensei sobre isso. Acho que eu poderia ter antecipado um pouquinho a entrada dos dois. Mas o fato de você jogar um clássico, que é decidido em detalhes... O time estava encaixado no segundo tempo. Eu até demorei a fazer a terceira substituição também por causa disso, porque o time estava encaixado. Nós tínhamos o domínio do jogo”, avaliou. (Superesportes)