Baixo desempenho de atacantes reflete em campanha ruim do Cruzeiro na Série B; veja números

Moreno marcou apenas dois gols pelo Cruzeiro em 2020
GUSTAVO ALEIXO/ CRUZEIRO

A uma rodada do fim do turno da Série B, o Cruzeiro ocupa o 18º lugar, com 17 pontos, e tem, segundo o Departamento de Matemática da UFMG, 1,1% de probabilidade de subir à primeira divisão em 2021. Entre várias explicações para a má campanha de um time considerado previamente favorito ao título está o baixo aproveitamento ofensivo. Na competição, a Raposa marcou 17 gols em 18 rodadas, com média de 0,94. Na temporada, balançou a rede 40 vezes em 34 jogos (1,17).

Atletas que brilharam em outras épocas não conseguem render pelo clube em 2020. É o caso de Marcelo Moreno, que nas passagens anteriores pela Toca - 2007/2008 e  2014 - contabilizou 45 gols em 93 jogos e conquistou três títulos: dois Campeonatos Mineiros e um Brasileiro. Contratado em fevereiro de 2020 após deixar o Shijiazhuang Ever Bright, da China, o boliviano enfrenta dificuldades para finalizar. Em 20 partidas (16 como titular), fez apenas dois gols.

Sassá não alcançou o mesmo destaque que Moreno pelo Cruzeiro, mas viveu seu bom momento ao anotar cinco tentos em seis apresentações na Copa Libertadores de 2018. Na Série B 2020, o camisa 99 passou em branco em seis oportunidades e segue sem cumprir a promessa feita em entrevista há um mês, quando afirmou que não fugiria da responsabilidade dos gols no clube.

O artilheiro celeste na segunda divisão é Arthur Caíke, com três gols em 13 jogos, mesmo sem ter atuações brilhantes. O problema é que o técnico Luiz Felipe Scolari não contará com o camisa 7 para enfrentar o Paraná na sexta-feira, às 21h30, no Mineirão, pela 19ª rodada. O jogador foi diagnosticado com estiramento muscular na coxa direita e já iniciou o tratamento no departamento médico da Toca II.

Em toda a temporada, o jovem Maurício, de 19 anos, lidera as estatísticas no elenco celeste, com cinco gols em 32 partidas. Entretanto, o meio-campista está em vias de ser liberado para o Internacional, que, em contrapartida, cederá William Pottker, recomendado à diretoria estrelada por Felipão. Assim como os centroavantes da Raposa, o atacante colorado vive “seca” em 2020, com apenas um gol em 15 jogos.

A exceção no grupo é Zé Eduardo, que soma nove gols em 2020 - quatro pelo Villa Nova, no Campeonato Mineiro (cinco jogos), e cinco a serviço do América de Natal, em Campeonato Potiguar, Copa do Brasil e Série D (cinco jogos). Apesar do histórico positivo, o jovem de 21 anos aguarda mais chances no Cruzeiro, uma vez que participou apenas de 15 minutos no empate por 0 a 0 com o Oeste, em 11 de outubro, na Arena Barueri, pela 15ª rodada da Série B (Superesportes)