Cruzeiro alega ter deixado de somar sete pontos por causa de erros de arbitragem

Árbitro Jean Pierre Gonçalves Lima consulta VAR em
Cruzeiro x Fluminense, no Mineirão 
Foto: RAMON LISBOA

Ainda lutando para afastar definitivamente o fantasma do rebaixamento no Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro está preocupado com a arbitragem nos últimos oito jogos pela competição. O técnico Abel Braga se mostrou revoltado depois da não marcação de pênalti em David logo no começo do segundo tempo da partida em que a equipe empatou por 1 a 1 como Bahia, domingo, no Mineirão, lembrando outros jogos em que considera ter sido prejudicado. Já a diretoria, através do gestor do futebol, Zezé Perrella, entrou em contato com a CBF para demonstrar a insatisfação com o que vem ocorrendo.

Pelas contas do treinador, a Raposa deixou de somar sete pontos só desde que ele chegou, no fim de setembro. Assim, teria 40 pontos hoje e estaria praticamente livre do risco de queda para a Série B – o Vasco, 11º colocado, soma 39, enquanto Goiás e Bahia, nono e 10º, respectivamente, têm 42.

O primeiro erro foi logo na estreia de Abel, quanto Thiago Neves teve gol anulado e o Cruzeiro acabou derrotado por 1 a 0 pelo Goiás, em Goiânia. E passou pelos empates com Fluminense e Chapecoense até chegar ao jogo com o Tricolor da Boa Terra.

“Está na hora de gritar, de fazer alguma coisa. Toda vez que é consultado o VAR é contra a gente. E vamos ficar quieto? Está passando do limite, não é fácil, não”, esbravejou o treinador celeste, deixando claro que não quer ajuda, mas isenção da arbitragem.

Ele também reclama da expulsão do lateral-direito Orejuela no lance em que foi marcado pênalti para o Bahia. A bola realmente toca no braço do jogador celeste, mas ele estava de costas e não teve a intenção de cortar a trajetória, não justificando, na opinião de Abel, o segundo cartão amarelo e consequente exclusão do atleta. A diretoria, por sua vez, vem procurando tomar as atitudes cabíveis. “Não foi o primeiro jogo em que o árbitro usa dois pesos e duas medidas contra a gente. Estamos fazendo o possível e é normal que o treinador reclame, pois o trabalho dele tem sido prejudicado. E a torcida tem de reclamar nas redes sociais para que isso não se repita”, disse Perrella, que oficializou reclamação por contato telefônico com o Leonardo Gaciba, chefe da comissão de arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), a quem pretende visitar “o mais breve possível”. (Superesportes)