Diretor de futebol do Cruzeiro explica escolha por Rogério Ceni

Vibração de Rogério Ceni foi um dos pontos destacados
pelo diretor de futebol do Cruzeiro

O técnico Rogério Ceni foi anunciado nesse domingo como novo treinador do Cruzeiro. O contrato do comandante com a equipe celeste vai até o fim da temporada 2020, quando se encerra gestão do presidente Wagner Pires de Sá. A confiança da diretoria da Raposa é de que ele lidere uma reação do time, que ocupa posição na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

Diretor de futebol do Cruzeiro, Marcelo Djian explicou como foi a negociação para a contratação de Rogério Ceni. De acordo com o dirigente, o treinador hesitou num primeiro momento, mas depois acenou positivamente para assumir o comando da equipe celeste.

“Começamos a conversar com ele na quinta ou na sexta-feira. A princípio, no primeiro contato que tive com ele, ele hesitou, pelo vínculo que criou com o Fortaleza, estava no clube desde 2018. Ele disse que iria estudar, ia refletir bastante. Ele estava bastante incomodado em deixar o clube. Eu deixei ele bem à vontade, disse que a gente havia acabado de perder o treinador, que era o Mano, e que ele era o nome que a gente gostaria que viesse. Nessa conversa ele foi amadurecendo e acabou decidindo vir para nós. Ele entrou em contato com o presidente do Fortaleza ontem, e hoje foi dada a confirmação de que ele está vindo para o Cruzeiro”, disse o dirigente, em entrevista à Rádio Itatiaia.

A liderança e o esquema de jogo das equipes de Rogério Ceni pesaram a favor do treinador. Djian explicou o motivo da opção escolhida pela diretoria celeste e espera que ele tenha sucesso neste novo desafio na carreira.

“Sabemos que ele é um líder nato. Pela carreira dele como jogador, ele sempre foi capitão no São Paulo. O trabalho dele, que fez no São Paulo, apesar de não ter conquistado títulos. Ele foi para o Fortaleza, entendeu que teria que começar um pouco abaixo. Pegou o Fortaleza na Segunda Divisão e subiu. E também a forma do time jogar. A gente vê que é um treinador que tem um esquema definido, determinado. Trouxemos para que ele tenha sucesso aqui conosco. Por isso a escolha pelo Rogério”, completou.

Outro ponto destacado pelo dirigente é a vibração de Rogério Ceni em campo. Para Djian, o treinador ainda carrega nas veias o espírito de jogador. 

“Esse é o desafio (liderar a equipe) de todo treinador, para o Rogério não é diferente. Ele está começando a carreira. A gente vê pela forma do time jogar. A gente observa que, quando sai gol, todos os jogadores correm para abraçá-lo, ele tem uma vibração de jogador ainda. É o que a gente está buscando. A gente espera que ele possa nos ajudar. É o treinador que estamos apostando. Sempre tivemos o Mano como um líder, mas ele acabou saindo em virtude da falta de resultados, mas a gente vê o Rogério como grande líder e que vai poder nos ajudar”. (SuperEsportes)