Dudamel e Sette Câmara cobram melhora de Di Santo no Atlético

Antes de a bola rolar nessa quinta-feira para o jogo contra o Unión-ARGtodos os titulares do Atlético tiveram o nome cantado e receberam o apoio da torcida. Aliás... quase todos. O centroavante Franco Di Santo chegou a ser lembrado nas arquibancadas do Independência, mas em tom de cobrança. Horas depois, já terminada a partida que decretou a eliminação alvinegra na primeira fase da Copa Sul-Americana, o argentino voltou a ser cobrado publicamente, desta vez pelo técnico Rafael Dudamel e pelo presidente Sérgio Sette Câmara.

O mandatário do Atlético admitiu que Di Santo ainda não correspondeu às expectativas criadas pela diretoria ao contratá-lo, em agosto de 2019. De lá para cá, o argentino de 30 anos participou de 31 partidas e foi às redes apenas seis vezes - média próxima a um gol a cada cinco jogos. Em meio às críticas, Sette Câmara disse confiar na evolução do jogador ao longo da temporada. “Claro que a gente espera um centroavante goleador. Acho que ele não vive bom momento, mas vi um jogador lutando, tentando abrir espaços. Claro que ele está longe daquilo que a gente gostaria, mas acredito que possa evoluir e nos ajudar durante esse ano”, disse o presidente após a vitória por 2 a 0 sobre o Unión-ARG, placar que não foi suficiente para classificar o Atlético à segunda fase da Copa Sul-Americana. No jogo de ida, os argentinos venceram por 3 a 0 no Estádio 15 de Abril, em Santa Fé.

Dudamel também falou sobre o momento de Di Santo. Desde o fim de 2019, o argentino é titular absoluto do ataque alvinegro. Nesta temporada, participou de oito jogos e marcou dois gols. “Conversamos muito com Franco (Di Santo), sabemos e conhecemos sua capacidade, esperamos e necessitamos mais dele. Ele está consciente. Ele conhece e entende que o rendimento de um atacante se mede por gols. Ele está trabalhando com muita consciência para melhorar”, avaliou o comandante.

Di Santo em atuação na vitória do Atlético por 2 a 0 sobre o Unión-ARG 
Foto: ALEXANDRE GUZANSHE

Além de Di Santo, o Atlético conta com quatro opções para a posição de centroavante. Primeiro reserva, Ricardo Oliveira não vive bom momento e fez apenas um gol nas últimas 32 partidas que disputou. Bruno Silva, de 19 anos, iniciou bem o ano, mas está fora por conta de uma lesão muscular na coxa esquerda. Cria da base alvinegra, o jovem Felipe, de 17 anos, inda não é visto como solução.

A quarta alternativa é o recém-contratado Diego Tardelli. O atacante de 34 anos já foi regularizado no Boletim Informativo Diário (BID), da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), e tem condições legais de atuar. Porém, o ídolo alvinegro ainda precisa aprimorar a parte física antes de ser escalado por Dudamel.

“Não pensei como uma alternativa o Felipe (contra o Unión-ARG). É um bom jogador para o futuro, temos ele por perto para seguir preparando. Mas nesta partida, com tanta responsabilidade, para homens, para gente grande, colocar um jogador tão jovens era um sacrifício. Colocá-lo antes de Ricardo Oliveira é uma falta de respeito com Ricardo, e era expor um jovem desnecessariamente”, concluiu. (Superesportes)