Éderson assina rescisão de contrato com Cruzeiro e deixa sede do clube 'em silêncio'

Éderson se desligou oficialmente do Cruzeiro nesta terça-feira 
Foto: VINNICIUS SILVA

Éderson se desligou oficialmente do Cruzeiro nesta terça-feira. Ao lado dos representantes, o volante compareceu à sede administrativa do clube, no Barro Preto, para assinar a rescisão de contrato. Na saída, o jogador, com o documento e a Carteira de Trabalho em mãos, passou em silêncio pela imprensa.
Em reuniões na semana passada, a diretoria do Cruzeiro e o estafe de Éderson encaminharam o acerto para a rescisão contratual. Com o acordo, o jogador de 20 anos retira a ação contra o clube na Justiça do Trabalho. A audiência estava marcada para o dia 19 de fevereiro. 

Éderson processou o Cruzeiro por causa de atrasos em salários, direitos de imagem, 1/3 sobre férias, 13º e Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), além de outras verbas trabalhistas. Ele pedia rescisão indireta do vínculo. O valor cobrado era de R$ 2.638.836,57, correspondente à íntegra do contrato, até julho de 2023.

Com o acordo alinhado, o Cruzeiro recebe R$ 3 milhões de André Cury, agente de Éderson e do atacante David, que também acionou o clube na Justiça. A Raposa ainda abate R$ 3,8 milhões de dívidas que mantém com o empresário. 
O Cruzeiro se livrou do pagamento dos salários atrasados de Éderson e David, que entrou no 'pacote' do acordo com André Cury. 

No entanto, o clube celeste ainda tem débito de R$ 1,275 milhão com o Desportivo Brasil pela aquisição de 50% dos direitos de Éderson. Foram pagas apenas duas das 11 parcelas.

Em 2019, Éderson foi um dos poucos destaques na participação desastrosa do time no Campeonato Brasileiro - rebaixado à Série B em 17º lugar, com 36 pontos em 38 rodadas. Em 21 jogos, marcou dois gols. (Superesportes)