Fábio lamenta punição e diz que Cruzeiro paga por 'falta de gestões'

Fábio, ídolo da torcida e um dos líderes do grupo, critica gestões 
 
Foto: VINNICIUS SILVA

Principal ídolo da torcida, atleta que mais vezes vestiu a camisa celeste (883 partidas), o goleiro Fábio lamentou a caótica situação financeira do Cruzeiro. Além de ter sido rebaixado à Série B do Brasileiro, no ano passado, o clube estrelado vive momento de crise com acúmulo de dívidas, culminando com a perda de seis pontos na tabela da Segunda Divisão. Com isso, a Raposa começará a competição com pontuação negativa na classificação. A punição foi imposta pela Fifa, em função de ação movida pelo Al Whada, dos Emirados Árabes, que não recebeu pelo empréstimo do volante Denilson, em 2016, no valor de 850 mil euros. A dívida passou para R$ 5,3 milhões este ano e deveria ter sido quitada até segunda-feira passada, o que não ocorreu. A decisão é definitiva e não cabe recurso. Para Fábio, a crise é fruto de gestões que levaram o Cruzeiro ao caos financeiro.

“Faltou uma gestão transparente, isso vem de alguns anos. Em um ano e meio, o clube foi acumulando dívidas e agora paga com uma pancada atrás da outra. Infelizmente, a gente teve essa notícia, que  pesa muito para nós, que estamos no Cruzeiro”, lamentou o goleiro, em entrevista ao SportsCenter, da ESPN Brasil. O veterano de 39 anos considera, no entanto, que o momento é de recuperar o time dentro e fora de campo, mesmo com todas as adversidades.

“Quem está no Cruzeiro e quem chegou agora já sabia que seria um ano atípico e de muita dificuldade, em que todos deveríamos nos empenhar em todos os aspectos. Estamos cientes das dificuldades, ainda veio a pandemia, que dificultou ainda mais a parte financeira do clube, que já era delicada. Mas o gigante vai ressurgir em 2020, junto com o torcedor e com os que ficaram e chegaram. A responsabilidade é grande, mas temos a consciência de que precisamos fazer um trabalho bem feito para subir à Série A”, declarou.  (Superesportes)