Justiça condena Atlético a pagar R$ 750 mil a volante Rafael Carioca

Rafael Carioca defendeu o Galo por três anos 
 
Foto: BRUNO CANTINI

O Atlético foi condenado em primeira instância a pagar R$ 750 mil ao volante Rafael Carioca, que defendeu o clube de 2014 a 2017. A sentença foi publicada às 21h53 dessa segunda-feira pela juíza Sandra Maria Generoso Thomaz Leidecker, da 32ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte. A Rádio Itatiaia antecipou a informação confirmada pelo Superesportes.

Na ação ajuizada em 20 de agosto de 2019, Rafael Carioca pleiteava o recebimento de adicional noturno, diferença de recolhimento de Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e correções de direitos de imagem, direitos de arena e férias, além de descanso semanal remunerado e juros e correção monetária. A defesa do jogador deu o valor à causa de  R$ 2.884.967,72. Sobre direitos de imagem, a magistrada julgou “improcedente o pedido de integração dos valores recebidos à remuneração, bem como o pedido de pagamento de incidências decorrentes”. Também indeferiu “o pagamento de diferenças relativas ao direito de arena” e de “adicional noturno e hora noturna reduzida”.

Por outro lado, a juíza aceitou os argumentos do reclamante com relação a “incidências dos valores recebidos a título de direito de arena em férias com terço, gratificações natalinas e FGTS”, “pagamento simples das férias relativas aos períodos aquisitivos 2014/2015, 2015/2016 e 2016/2017” e “repousos semanais remunerados”.

O lateral-direito Carlos César, que também processou o Atlético, foi testemunha de Rafael Carioca. No dia 15 de junho, a Justiça condenou o clube a pagar R$ 400 mil ao jogador. O veredito também foi dado pela juíza Sandra Maria Generoso Thomaz Leidecker, da 32ª Vara do Trabalho de BH.

Contratado em agosto de 2014, por empréstimo ao Spartak Moscou, Rafael Carioca conquistou a Copa do Brasil em sua primeira temporada no clube. Em 2015, o Galo exerceu a compra de 50% de seus direitos econômicos por 1 milhão de euros.  Sem receber pela negociação, o clube russo levou o caso à Fifa. A pendência foi acertada há menos de um mês, com o pagamento de 7,4 milhões por parte do Atlético. (Superesportes)