Para evitar perder novas 'joias', Cruzeiro paga parte de dívidas com jovens jogadores

Cacá foi um dos jogadores que receberam parte dos atrasados 
Foto: BRUNO HADDAD

O Cruzeiro acertou, no fim da última semana e nesta segunda-feira, algumas dívidas com jovens jogadores de seu elenco profissional e da equipe sub-20. Conforme apurou o Superesportes, pelo menos dez atletas tiveram situações praticamente regularizadas, faltando apenas a quitação do 13º salário. 

Os vencimentos de novembro e dezembro, além de novos depósitos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), foram feitos com aporte de Pedro Lourenço, do Supermercados BH. Antes de deixar o Núcleo Dirigente Transitório, na última quinta-feira, o empresário desembolsou cerca de R$ 12 milhões para o pagamento de atrasados.

Estão na lista, embora o Cruzeiro não confirme publicamente, os zagueiros Edu e Cacá, o lateral-esquerdo Rafael Santos, os meias Maurício e Marco Antônio, além do atacante Caio Rosa. Outros jogadores, especialmente do elenco que disputa a Copa São Paulo de Futebol Júnior, também receberam dois salários atrasados.

O volante Éderson, que entrou na Justiça contra o Cruzeiro, também teve parte das dívidas quitadas. Apesar disso, ele optou por não retirar a ação. Na última sexta-feira, seu empresário, André Cury, fez oferta de R$ 4 milhões para adquirir os direitos do jogador e encerrar o processo judicial. Ele ainda não recebeu um retorno da diretoria celeste.

Vale lembrar que, além de ajudar no pagamento de salários atrasados, Pedro Lourenço auxiliou o Cruzeiro na compra do lateral-direito Orejuela. O clube celeste confirmou a aquisição de 50% dos direitos econômicos do colombiano ao depositar 1,5 milhão de dólares (cerca de R$6 milhões) na conta do Ajax, da Holanda.

Desta vez sem a ajuda de Pedrinho, como é conhecido o empresário, o Núcleo Dirigente Transitório busca saídas para acertar a folha de pagamento da maior parte do elenco profissional. (Superesportes)