Presidente do PSG é alvo de investigação na França sobre corrupção

O presidente do Paris Saint-Germain, Nasser Al-Khelaifi, está sendo investigado por corrupção como parte de uma apuração sobre supostas irregularidades no processo de definição das sedes das edições de 2017 e 2019 do Mundial de Atletismo, disse uma autoridade judicial nesta quinta-feira.
A autoridade disse à agência de notícias The Associated Press que a acusação preliminar de "corrupção ativa" foi feita contra o presidente do grupo de mídia Bein Sports neste mês. A declaração foi dada sob condição de anonimato porque a pessoa não estava autorizada a falar da investigação publicamente. De acordo com a autoridade, Al-Khelaifi é suspeito de corrupção "em relação ao Mundial de Atletismo do Catar". 

O diretor executivo do Bein, Yousef Al-Obaidly, também recebeu acusações preliminares de corrupção, enquanto Lamine Diack, ex-presidente da Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês), é suspeito de "corrupção passiva" no mesmo caso.
De acordo com o advogado de Al-Obaidly, o caso se concentra em documentos que mostram que um ex-membro da IAAF recebeu dois pagamentos de US$ 3,5 milhões (aproximadamente R$ 14,1 milhões) de investidores do Catar antes da votação da sede do Mundial de 2017. O Catar acabou perdendo para Londres, mas depois foi premiado com o Mundial de 2019. O campeonato será realizados em Doha, de 27 de setembro a 6 de outubro.

(SuperEsportes)