“Se falar o que penso pego 200 jogos”, diz Luan sobre arbitragem

João Ricardo lamentou o empate com o Ceará

Há quem diga que o América teve medo de ganhar – e ele tira a vontade de vencer. Já outros afirmam que o técnico Enderson Moreira se segurou para garantir a vitória. Fato é que o Coelho não jogou o segundo tempo, esperou o Ceará em seu campo defensivo e o gol aos 47 minutos do segundo tempo foi o resultado de um time que não atacou. Por fim, fez com que o Coelho deixasse o gramado do Castelão, na noite de segunda-feira, com o placar de 2 a 2, e menos dois pontos que poderiam ser computados. Aos americanos restaram as lamentações, muita raiva e com Luan se segurando para desabafar.

O América vencia até os 47 do segundo tempo, quando o árbitro marcou um pênalti. O atacante Luan, que já não estava em campo, lamentou o resultado e evitou falar muito sobre a arbitragem.

“Se a gente falar o que pensa, pego 200 jogos de suspensão. Vou falar do América. Jogo difícil, desgaste grande, não era preciso dar cinco minutos de acréscimos, achei que não foi pênalti também. Vamos continuar trabalhando”, criticou Luan em entrevista.

O goleiro João Ricardo também evitou críticas a arbitragem – também transparecendo receio. Para ele, a equipe não conseguiu manter o nível no segundo tempo, motivo pelo qual sofreu o empate.

“Todo jogo a arbitragem decide os jogos, não podemos falar muito. Não conseguimos manter o mesmo nível no segundo tempo, só defendemos. Não sei se errou ou acertou. Quando tem solada na cabeça do nosso zagueiro segue. A gente jogou bem, quando conseguimos colocar a bola no chão, fizemos um bom jogo”, finalizou. (Gazeta Esportiva)