TRT nega liminar a Fred para suspender processo que envolve Atlético e Cruzeiro

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) negou nesta sexta-feira recurso do atacante Fred que pedia liminar para suspender o processo arbitral no caso da multa dos R$ 10 milhões ao Atlético. O centroavante do Cruzeiro tentava reverter decisão favorável ao clube alvinegro.   

Quem revelou essa informação foi o vice-presidente do Galo, Lásaro Cândido da Cunha, nas redes sociais. A reportagem tentou contato com o advogado de Fred, Maurício Corrêa da Veiga, mas ele não foi encontrado para comentar a decisão. O Cruzeiro, terceiro envolvido na história, só se manifestará a respeito quando o processo for concluído na Justiça.
Fred já havia entrado com pedido de liminar, negado pelo desembargador Manoel Barbosa da Silva em setembro. Desta vez, a decisão do TRT foi colegiada.
Uma fonte ouvida pela reportagem disse que "o caminho ainda é longo" para o Atlético receber o dinheiro. Fred e Cruzeiro ainda podem recorrer da multa na Justiça.
Vencido na Câmara Nacional de Resolução de Disputas (CNRD), Fred levou o caso à Justiça do Trabalho e havia conseguido suspender liminarmente a multa originada pela transferência ao Cruzeiro, concretizada em dezembro de 2017. Em 12 de setembro deste ano, porém, o Atlético derrubou a liminar - o que fez com que a cobrança voltasse a valer.
Fred, então, contra-atacou e tentou conseguir mandado de segurança, para que a primeira decisão da Justiça do Trabalho voltasse a valer. Nesta segunda-feira, porém, o pedido do atacante foi negado. Com isso, a multa - agora avaliada em mais de R$ 12 milhões - segue com validade. Não é uma decisão final. A disputa seguirá na Justiça.

Entenda o caso
O imbróglio começou em dezembro de 2017, quando Fred - que acabara de rescindir contrato com o Atlético - assinou contrato com o Cruzeiro. No acordo que finalizou o vínculo com o clube alvinegro, o centroavante se comprometia a pagar R$ 10 milhões em multa caso se acertasse com o rival.
No acordo com Fred, o Cruzeiro se comprometeu a arcar com a multa. O caso, então, foi para a Justiça. (Superesportes)