Cedec aponta falta de tecnologias na convivência com a seca

O Norte de Minas está atrasado na aplicação de novas tecnologias para conviver com a seca, em relação ao Nordeste brasileiro, conforme alerta do capitão João Paulo Fiuza da Silva, da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Minas Gerais, durante o II Workshop da Seca, que foi realizado na terça e quarta-feira, em Montes Claros. Ele explicou que os investimentos em novas tecnologias para a seca são pífios em Minas Gerais, se comparado com o aplicado no Nordeste brasileiro, que vive a mesma situação de estiagem. Na sua concepção, Minas Gerais tem de diversificar as tecnologias. Os dados da Cedec-Mg mostram que aproximadamente dois milhões de pessoas são afetadas pela seca em Minas Gerais, enquanto no Brasil são 40 milhões de pessoas.

Mais detalhes na edição de amanhã do Jornal Gazeta Norte Mineira, versões impressa. (Foto: Girleno Alencar)