Aumento da criminalidade é mais complexo do que só diminuir a miséria

O vereador Oliveira Lega disse que uma pesquisa feita e divulgada recentemente por uma das maiores autoridades em criminalidade do país, o educador e doutor em criminalidade urbana, Luiz Flávio Sapori, só vem confirmar o que toda autoridade policial tem conhecimento de que os fatores que contribuem para o aumento da violência e, consequentemente, para a elevação da taxa de homicídios, são a consolidação do tráfico de drogas, principalmente o consumo de drogas e os elevados níveis de impunidade.

De acordo com o parlamentar, é necessária adoção de medidas mais eficientes para combater os dois aspectos anteriores. “O que me preocupa é como o governo trata a questão da violência e a questão da pobreza e da miséria”, ressaltou o parlamentar, que concorda quando o estudioso diz que é preciso repensar o que tem sido feito e como agir, já que a pesquisa mostra que, apesar dos ganhos sociais, a violência aumenta.

Pelos dados da pesquisa, há um aumento contínuo e gradual na taxa de violência no período de 1999 a 2012.  Ainda de acordo com o vereador, o número saltou de 21 homicídios para cada grupo de 100 mil habitantes para 51 homicídios (para o mesmo número de habitantes).

Lembrou que a taxa é considerada muito elevada, segundo o vereador, pode ser comparada a alguns países africanos e do Oriente Médio, apontados como os mais violentos do mundo. “Não há qualidade de vida em uma sociedade que todos os anos colecionam mais de 50 mil vítimas de assassinatos, isso equivale a toda guerra do Vietnã e aqui é anual”, ressalta o estudo, referindo-se à média de 51 assassinatos para cada 100 mil habitantes, registrada em alguns países africanos.

Ao finalizar o vereador disse ainda que pela pesquisa, os países da Europa, da Ásia e da Oceania registram, em média, os índices mais baixos de homicídios, com cerca de três assassinatos para cada 100 mil habitantes. Nas Américas, o Brasil é apontado entre os países mais violentos, ao lado do Paraguai, da Guatemala e de El Salvador, com base em dados da Organização das Nações Unidas (ONU). (VS)