Candidatos a prefeito trocam programa eleitoral por redes sociais

Os candidatos a prefeito de Montes Claros trocaram o programa eleitoral de rádio e televisão pelas redes sociais para trocar farpas e acusações nas eleições desse ano. No programa oficial, eles adotaram o estilo “paz e amor”, onde apresentam suas propostas e de vez em quando dão algumas alfinetadas. Nas redes sociais, as duas campanhas estão em verdadeira quebra de braço, com seus correligionários trocando farpas e acusações. Os dois candidatos não aparecem nessas gravações mesmo na queda de braço entre as duas campanhas.

Ontem foi a vez da campanha do prefeito Humberto Souto, do Cidadania, de desmentir o ex-prefeito Ruy Muniz, do PP, que no programa eleitoral tinha demonstrado ser responsável pela instalação da indústria farmacêutica Hipolabor. Os “humbertistas” mostraram que a fabrica iniciou no governo de Athos Avelino. Nas redes sociais, o ex-prefeito Ruy Muniz mostra que a Prefeitura de Montes Claros deixou danificar o Restaurante Popular e por isso, a partir de 2021, depois de sua posse, fará a abertura do local. Citou ainda que a administração contratou por R$ 45 mil por mês uma empresa para fazer a varrição das ruas da cidade, usando um veículo que é do próprio município.

No programa eleitoral de ontem, o prefeito Humberto Souto focou a educação, acrescentando que sua administração tem prestigiado os professores, ao assegurar o pagamento em dia e feito investimentos consideráveis. Uma professora mostra que mesmo com a pandemia coronavírus, as atividades conseguiram o êxito desejado. O candidato a vice-prefeito Guilherme Guimarães participou do programa, apresentado como professor universitário por mais de 20 anos, e observou que se sentia satisfeito de participar da chapa ao lado de Humberto Souto.

O candidato Ruy Muniz gravou do bairro Chiquinho Guimarães, quando mostrou que asfaltou mais de 100 ruas e sete avenidas, mas que acima de tudo era importante fazer obras, mas administrar a cidade. A candidata Leninha, do PT, foi para a área central e mostrou que com quase 200 anos, Montes Claros nunca tinha eleito uma mulher ou um trabalhador como prefeito e por isso, tinha de eleger alguém que valorizasse quem ganha a vida com seu próprio suor. O candidato Silvano Tolentino, do Podemos, reforçou que é possível crescer na vida apenas pela educação e por isso, investiria nesse setor. Emerson Guimarães, do PV, lamentou a falta de respeito com os profissionais da educação em Montes Claros e prometeu mudar esse setor.

os candidatos