CDL agradece ao deputado Marcelo Freitas projeto de linha de crédito para profissionais liberais

Marcelo Freitas e Ernandes Ferreira

A Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 2424/20 que cria uma linha de crédito para profissionais liberais, como advogados, corretores e arquitetos, exceto aqueles com participação societária em pessoa jurídica ou com vínculo empregatício de qualquer natureza. Segundo o texto, a linha de crédito, criada no âmbito do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), terá taxa de juros de 5% ao ano mais a taxa Selic e prazo de 36 meses para pagar, dentro dos quais até oito meses poderão ser de carência com juros capitalizados. Cada profissional, tanto de nível técnico quanto de nível superior, poderá pedir empréstimo em valor até 50% do rendimento anual declarado na Declaração de Ajuste Anual (DAA) de 2019, mas o limite será de R$100 mil por pessoa.

Para o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Montes Claros (CDL), empresário Ernandes Ferreira da Silva, esse crédito é muito importante para área de comercio e serviços, uma vez que, vários profissionais liberais estão sendo afetados pela pandemia. “Com a baixa demanda de atividades nos seus escritórios, os profissionais liberais também estão passando por dificuldades. Esse crédito vem para suas inadimplências e a falta que vem fazendo esse dinheiro, recentemente. A entidade vê como positiva a iniciativa porque ajudará com que o dinheiro gire no comércio e diminua a inadimplência”, afirmou Ernandes.

O presidente da CDL destacou o trabalho realizado pelo deputado federal, delegado Marcelo Freitas, em prol do norte de Minas. “O trabalho do deputado Marcelo Freitas na Câmara dos Deputados, tem sido de suma importância e tem atendido os anseios da nossa região. Iniciativas como a aprovação desse projeto fazem com que tenhamos esperança de que os impactos gerados pela pandemia poderão ser minimizados e, que consigamos voltar à normalidade o mais breve possível”, observou o empresário.

O deputado delegado Marcelo Freitas explicou que o projeto faz ajustes na Lei do Pronampe na parte sobre o cálculo do crédito que uma empresa com menos de um ano de funcionamento poderá acessar. A média da receita bruta mensal apurada no período inferior a um ano deverá ser multiplicada por 12 para se encontrar uma média anualizada. O limite do empréstimo nessas situações é de 50% dessa média.