Deputadas cobram continuidade da Comissão das Mulheres

Representantes de movimento feminista e deputadas entregam demandas

 

As parlamentares frisaram a importância de garantir a permanência da Comissão Extraordinária das Mulheres, encerrada em dezembro do ano passado. O deputado Rogério Correia manifestou apoio a essa reivindicação, mas lembrou que a decisão de transformar a comissão temporária em permanente depende da Mesa da ALMG.

A deputada Celise Laviola destacou que 52% do eleitorado brasileiro é composto por mulheres, mas elas ainda têm pequena participação na política. A deputada Geisa Teixeira ressaltou que, apesar dos avanços recentes, as mulheres ainda enfrentam discriminação para se verem representadas nos espaços de poder.

“Já passou a época em que gostávamos de receber flores no Dia da Mulher. Hoje preferimos discutir o combate à violência e como aumentar a nossa representatividade”, afirmou. Em seu relatório final, a Comissão Extraordinária das Mulheres faz uma série de recomendações para garantir maior representatividade feminina na política, combater o machismo e a violência contra a mulher. Entre essas recomendações, está a garantia da presença feminina na Mesa da ALMG, conforme propõe a PEC 16/15.

Além disso, o documento recomenda o fortalecimento do Conselho Estadual de Políticas para as Mulheres, a criação de fundo específico para garantia dos direitos da mulher e a ampliação dos serviços de atendimento às mulheres vítimas de violência.

Para discutir o enfrentamento do machismo e a garantia de direitos das mulheres, a ALMG vai realizar um ciclo de debates, em data a ser definida. Participaram da reunião representantes das seguintes entidades: Rede Estadual de Enfrentamento da Violência contra a Mulher; Conselho Municipal dos Direitos da Mulher; Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil; Movimento Popular da Mulher; Conselho Nacional dos Direitos das Mulheres; Centro Risoleta Neves de Atendimento; Subsecretaria de Estado de Políticas para as Mulheres; e Consórcio Regional de Promoção de Cidadania Mulheres das Gerais.