Dia das Mulheres lembrará lutas e resistência de mineiras

Como parte das comemorações dos 300 anos de Minas Gerais, que serão celebrados no dia 2 de dezembro de 2020, o Dia Internacional da Mulher terá homenagem especial na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Para lembrar a luta de mineiras ao longo desses três séculos, o Parlamento realiza, em parceria com entidades ligadas à causa feminina e órgãos governamentais, o evento Sempre Vivas: Mulheres, história e resistência. O Dia das Mulheres, comemorado em 8 de março, terá uma programação diferenciada nesta edição. A abertura oficial será dia 6, às 9 horas, no Auditório José Alencar, seguida pela homenagem com votos de congratulações a 40 ativistas que fizeram ou fazem história em nosso Estado.

Entre as homenageadas, algumas já falecidas, está, por exemplo, a major Carla Lessa Alvarenga Leal, primeira comandante de helicóptero do Corpo de Bombeiros, que teve um trabalho de destaque no resgate dos sobreviventes do rompimento de barragem da Vale em Brumadinho (Região Metropolitana de Belo Horizonte). A presidenta da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher e uma das coordenadoras do evento, deputada Andréia de Jesus (Psol), afirma que, com o tema, se pretende fortalecer a história de resistência de mulheres que fazem de Minas a potência que é. O Sempre Viva também continuará enfatizando a luta pela vida, levando a temática do feminicídio para as ruas. No mesmo dia 6, das 13 às 18 horas, na Praça Sete, no Centro de Belo Horizonte, serão realizadas palestras, intervenções artísticas e oferecidos serviços de orientação em tendas montadas no local. Além do evento de 6 de março, haverá uma agenda de atividades ao longo da semana seguinte. Na terça-feira, dia 10, a deputada Andréia de Jesus concederá uma entrevista coletiva, às 14 horas, na Sala de Imprensa da ALMG.

Logo após, às 15 horas, será realizada uma roda de conversa, no Espaço Democrático José Aparecido de Oliveira (Edjao), sobre o tema “Mulheres, democracia e resistência”. Outra roda está programada para a quarta-feira, dia 11, no mesmo horário e local. O tema, dessa vez, será “Direitos sexuais e reprodutivos e violência obstétrica”. Ainda no Edjao, durante os dois dias, será abrigada a 3ª Feira Rainha Tereza de Benguela, com exposições de produções artesanais (moda, decoração, arte, gastronomia) de 20 mulheres empreendedoras negras de vilas, favelas e bairros periféricos de BH e Ribeirão das Neves, Vespasiano, Contagem, Betim e Sabará, todos da RMBH.